Endereço: CRS 505, Bloco A Entrada 11 Sala 105 - CEP: 70.350-510 - Asa Sul - Brasília/DF | Fone: (61) 3256-0803 | 3256-0802 | 9 9558-5735

Portal do Inep passa a oferecer a videoprova em libras do Enem

Reforçando sua política de acessibilidade e inclusão, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia vinculada ao MEC, tornará disponível em seu portal a videoprova em libras do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), assim como ocorre com a prova regular. A novidade permitirá que surdos e deficientes auditivos possam estudar pelas provas anteriores no formato adequado.

Atualmente, os vídeos com os enunciados e opções de respostas da videoprova de 2017 podem ser acessados em libras pela playlist Enem do perfil do Inep no Youtube. Com o novo recurso, a ser implantado até o fim deste mês, o participante poderá assistir ao vídeo das questões e conferir o gabarito.

Ao longo da história do Enem, o atendimento às diferentes necessidades dos participantes tem sido uma preocupação do Inep. Em 2017, o instituto passou a oferecer a videoprova em libras e lançou, como tema da redação, “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”, promovendo um amplo debate sobre o assunto.

“O Enem em libras marca nosso esforço para garantir que nossos editais, provas, cartilha de redação do participante e demais materiais sejam acessíveis”, avalia a presidente do Inep, Maria Ines Fini. “Dessa forma, o Inep reafirma o compromisso com a comunidade surda e com um futuro melhor por meio da educação”.

FONTE: ASCOM/MEC

CLDF sanciona lei que garante prioridade no pagamento da pecúnia a aposentados com doenças graves

Foi sancionada pela Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) nessa quarta-feira (26) a Lei Complementar nº 947/2018, que dá prioridade ao recebimento da pecúnia da licença-prêmio para servidores(as) aposentados(as) com doenças graves reconhecidas por lei. O Sinpro vinha lutando pela aprovação dessa lei há algum tempo por entender que essas pessoas tinham que ter um tratamento humanitário com relação ao acerto financeiro. Em alguns casos, professores(as) faleceram em decorrência de doenças e não receberam suas pecúnias.

Em breve a diretoria colegiada do Sinpro informará como se dará o processo e quais serão os procedimentos para que o(a) professor(a) ou o orientador(a) educacional aposentado(a) possa requerer.

FONTE: SINPRO/DF

Abertas inscrições para as vagas remanescentes do segundo semestre

 

As inscrições para as vagas remanescentes do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), referentes ao segundo semestre de 2018, já estão abertas. O cadastro deve ser feito exclusivamente pela internet, até as 23h59 de 9 de novembro (horário de Brasília), observada a condição do estudante em cada período previsto pelo edital do Ministério da Educação.

Poderão concorrer às vagas remanescentes os candidatos que tenham participado de alguma edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) desde 2010, com nota mínima de 450 pontos nas provas e acima de zero na redação. Além disso, é necessário comprovar renda familiar mensal bruta per capita de até três salários mínimos.

No calendário de inscrições, conforme previsto em edital, será dada prioridade aos estudantes que participaram do processo seletivo regular do Fies do segundo semestre de 2018 e se inscreveram em cursos nos quais não houve formação de turma no período inicial. Posteriormente, serão concedidos prazos para os ingressantes e já matriculados na instituição.

Uma vez pré-selecionados, os candidatos terão um prazo de dois dias úteis para complementar os dados solicitados pelo FiesSeleção e, em seguida, três dias úteis para comparecer à instituição onde serão validadas as informações inseridas. Com a validação dos dados, os candidatos poderão comparecer ao banco para efetivar a contratação do financiamento.

Clique aqui para conferir o edital.

Acesse a página do Fies para mais informações.

FONTE: ASCOM/MEC

Inep divulga dados sobre nível socioeconômico das escolas

O Indicador de Nível Socioeconômico das Escolas de Educação Básica (Inse) 2015 está disponível para consulta no Portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia vinculada ao Ministério da Educação. O Indicador permite contextualizar o desempenho das escolas nas avaliações e exames realizados pelo Instituto. As bases para a construção do Inse foram os microdados dos questionários contextuais dos participantes do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2015.

As questões utilizadas dizem respeito à renda familiar, à posse de bens e à contratação de serviços de empregados domésticos pela família dos estudantes, além do nível de escolaridade de seus pais ou responsáveis. No âmbito da escola, foram consideradas somente as que tinham dez ou mais alunos pertencentes ao universo de referência.

Para o cálculo do Inse, o Inep considerou os questionários de aproximadamente 3,8 milhões de estudantes que participaram, de forma censitária, do Saeb 2015. Além desses, foram considerados 71 mil questionários dos participantes que fizeram parte da amostra, utilizando os mesmos instrumentos e metodologia da avaliação censitária. As respostas dos estudantes das escolas e municípios que não tiveram resultados divulgados no Saeb 2015, por não se enquadrarem nos critérios, não foram utilizados para a composição do Indicador.

Da base do Enem 2015, foram considerados os questionários de 975 mil estudantes concluintes do ensino médio regular. O questionário contextual fornece informações a respeito do aluno e da sua família e seu preenchimento faz parte de uma das fases do processo de inscrição do Enem.

Indicador de Nível Socioeconômico das Escolas de Educação Básica (Inse) 2015

Microdados do Saeb 2015

Microdados do Enem 2015

FONTE: ASCOM/MEC

Derrubado vetos do GDF sobre reajuste salarial para 2019

A Câmara Legislativa do Distrito Federal derrubou, na última terça-feira (18), os vetos que o governador Rodrigo Rollemberg havia imposto sobre pautas que versam sobre o reajuste salarial em 2019. Os vetos à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) referentes ao Anexo IV da proposta, que tratava da criação de cargos e da recomposição do salário de diversas carreiras, entre elas o do Magistério Público do Distrito Federal, foram derrubados em sua totalidade.

A derrubada dos vetos representa uma importante vitória do Sinpro, e a luta agora é para garantir a previsão dos recursos no Projeto de Lei Orçamentária Anual para 2019, que deve ser encaminhado até o início de outubro à CLDF. Segundo informações da assessoria do Dieese, essa autorização é um requisito necessário para o orçamento estar de acordo com a lei.

A partir de agora devemos ficar atentos, fiscalizar o orçamento e verificar se o governo fará a alocação dos recursos para essas despesas. A autorização na LDO é o primeiro passo para garantirmos essa vitória.

 

FONTE: SINPRO/DF

Projeto capacita gratuitamente mulheres de baixa renda para trabalhar na construção civil: as inscrições estão abertas para nova turma em São Gonçalo – RJ

O lema “Lugar de mulher é onde ela quiser” está cada vez mais presente na realidade feminina. Com isso em mente, a engenheira civil Deise Gravina idealizou o projeto Mão na Massa lançado em 2006, uma proposta pioneira de qualificação profissional para mulheres, no setor da construção civil.

A iniciativa usa a força da construção civil para transformar a vida de mulheres em situação de vulnerabilidade social. O público são mulheres entre 18 e 45 anos, com escolaridade igual ou superior ao 5º ano do Ensino Fundamental e visa a formação profissional e inserção de pedreiras, carpinteiras de fôrma, pintoras e eletricistas em canteiros de obras. Segundo Deise Gravina o projeto pioneiro já conseguiu transformar a vida de 1,2 mil mulheres e suas famílias. “Não é apenas um projeto que vai qualificar mulheres para o trabalho. Nós observamos que elas transformam as suas vidas, a de seus familiares e ganham o respeito da comunidade. É um projeto que traz ganhos permanentes”.

Rio de Janeiro (RJ) 14/01/2011 Mão na Massa – Projeto que capacita mulheres para ingressar no mercado da construção civil. Foto Ana Branco

A qualificação profissional é gratuita para as participantes, que além das aulas e do diploma, recebem equipamento de proteção individual e um kit de ferramentas para iniciar serviços e gerar renda após a qualificação. Ao final do curso, as operárias são certificadas pela Faetec e depois de formadas podem trabalhar como meio oficial, cargo acima do de servente de obra. O projeto é patrocinado pela Petrobras e já formou 14 turmas, várias delas já são MEI e empregam suas colegas.

 

NOVA TURMA

Dessa vez serão 60 vagas para curso de seis meses, realizado em São Gonçalo, dividido em duas etapas: quatro meses com aulas teóricas (dois deles no canteiro escola) e mais dois meses com as aulas práticas, supervisionadas por engenheira e técnica em edificações.

As inscrições vão do dia 17 a 19 de setembro e devem ser feitas na Avenida Santa Luzia 1032, Santa Luzia – São Gonçalo- RJ. As candidatas devem apresentar o original e a cópia da carteira de identidade, do CPF e do comprovante de residência. A entrevista será feita no local. As matrículas acontecem de 24 a 26 de setembro e o início das aulas é no dia 1º de outubro.

Informações pelo telefone (21) 3147-5100 e e-mail: contato@projetomaonamassa.org.br.

 

SERVIÇO 

Mão na Massa – mulheres na construção civil

Inscrições: 17 a 19 de setembro, de 8h às 12h

Documentos: carteira de identidade, CPF e comprovante de residência (originais e cópias)

Onde: Avenida Santa Luzia 1032, Santa Luzia- São Gonçalo- RJ

Informações(21) 3147-5100

E-mailcontato@projetomaonamassa.org.br

 

 

Pesquisa inédita aponta que 97,15% dos professores presenciaram algum tipo de violência nas escolas do DF

A cada 7 minutos, em algum lugar do mundo, uma criança ou um adolescente, entre 10 e 19 anos, é assassinado. Em 2015, 82 mil meninos e meninas nessa faixa etária foram mortos. Desse total, a América Latina e o Caribe dão conta de 24,5 mil. As pesquisas sobre o tema mostram que, geralmente, esses jovens também são os atingidos pela exclusão escolar.

No Distrito Federal, 97,15% dos professores da rede pública de ensino já presenciaram algum tipo de violência e,57,17% deles,  já  foram vítima dessa violência. Também 96,36% dos(as) professores(as) já presenciaram atos de violência entre estudantes. Os dados são inéditos e fazem parte de uma pesquisa encomendada pelo Sinpro-DF e realizada Metro Pesquisa, com 1.355 professores(as), que responderam questões pelo formulário disponível no site do sindicato e por e-mail entre os dias 4/12/2017 e 21/3/2018.

Com a ideia de retirar a violência da invisibilidade e intitulada Violência nas Escolas, a pesquisa faz parte da luta do sindicato por melhores condições de trabalho e por uma sociedade mais justa. Não é de agora a preocupação da diretoria colegiada do Sinpro-DF com as condições de violência nas escolas do DF. Tanto é que, em 2008, lançou a campanha permanente “Quem bate na escola maltrata muita gente”. Essa campanha realiza um concurso de redação anual que premia estudantes e professores que apresentam as melhores redações ou desenhos sobre a temática do ano. Em 2017, véspera do ano que a campanha completa 10 anos, a diretoria decidiu verificar a situação e realizou a pesquisa.

Os dados da violência estão neste documento inédito intitulado Violência nas escolas públicas do Distrito Federal (link no final da matéria). “Além de integrar a campanha “Quem bate na escola maltrata muita gente”, a pesquisa é um termômetro para mostrar o fiasco que é a política de choque de gestão e de Estado mínimo adotado pelo atual Governo do Distrito Federal (GDF) e que a redução drástica de investimento de dinheiro público na educação, na saúde e na segurança é a causa do recrudescimento do número de atos violentos dentro das escolas, do aumento da evasão escolar e do adoecimento da categoria”, afirma Rosilene Corrêa, diretora do Sinpro-DF.

Ela assegura que essa violência afeta a categoria e transforma o ambiente escolar em local sem condições de trabalho. “O sindicato luta contra isso em várias frentes de combate. Esse ambiente contaminado é falta de condições de trabalho. Daí uma das frentes ser a nossa Pauta de Reivindicações. Outra é o incentivo que o sindicato dá aos projetos das escolas, quer seja no âmbito da política pedagógica e de pais quer seja cobrando de quem é responsável pela elaboração e aplicação de políticas públicas. Apoia também as escolas a desenvolverem projetos que não têm subsídio da Secretaria de Estado da Educação e que ficam muito na responsabilidade da própria escola”, informa a diretora.

A diretora diz que esse adoecimento da categoria tem chamado muita atenção da diretoria. “E isso é pauta nossa com o governo porque grande parte desse adoecimento é emocional porque o ambiente da escola favorece muito para isso. A violência, esse clima de insegurança que se vive na escola hoje, de ameaça, é claro que influencia muito para isso. A gente não precisa  de muitas pesquisas para saber”, explica.

A partir desta matéria, o Sinpro-DF irá publicar uma série de matérias sobre a pesquisa, detalhando cada item contido no documente. Acompanhe pelo site.

Confira aqui a cartilha “Violência nas Escolas

FONTE: SINPRO/DF

Prêmio a iniciativas socioculturais dos CEUs: inscrição até 13/9

Terminam nesta quinta-feira (13/9) as inscrições para o edital que vai premiar iniciativas socioculturais desenvolvidas nos Centros de Artes e Esportes Unificados (CEUs) já inaugurados no Brasil. Serão investidos R$ 450 mil em 30 iniciativas (R$ 15 mil cada) que beneficiem suas comunidades, fortalecendo expressões socioculturais locais e regionais e promovendo a cidadania, o bem-estar e o desenvolvimento social e sustentável.
As inscrições devem ser feitas na plataforma mapas.cultura.gov.br/oportunidade/988. Podem se inscrever pessoas físicas – individualmente ou que representem grupos ou coletivos – e pessoas jurídicas, sem fins lucrativos, responsáveis por iniciativas socioculturais nos CEUs oficialmente inaugurados.

Serão premiadas iniciativas nas seguintes categorias: promoção da educação e da formação artística e cultural, nas mais diversas linguagens; promoção do desenvolvimento social com intersetorialidade; promoção da interseção entre cultura, bem-estar e saúde; prevenção à violência; iniciativas promovidas por jovens ou coletivos de jovens; e capacitação e qualificação para o trabalho, promoção do associativismo e da economia Solidária. Cada categoria terá cinco propostas premiadas.
Uma comissão técnica de seleção, composta de 12 membros (seis titulares e seis suplentes), será responsável pela avaliação das iniciativas. Os critérios de avaliação e seleção estão disponíveis no edital. Acesse aqui o documento completo.
CEUS
Os Centros de Artes e Esportes Unificados integram ações culturais, práticas esportivas e de lazer, formação e qualificação para o mercado de trabalho, serviços socioassistenciais, políticas de prevenção à violência e de inclusão digital. O espaço possui biblioteca, cineteatro, laboratório multimídia, salas de oficinas, edifícios multiuso, Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) e pista de skate. Os CEUs de 3 mil e 7 mil metros quadrados ainda contam com quadra coberta, playground e pista de caminhada. Foram inaugurados, até o momento, 168 Praças CEUs.
FONTE: ASCOM/Ministério da Cultura

Projeto de alfabetização de escola brasiliense ajuda estudantes a conhecer novas culturas

Desbravar novas culturas e expandir o conhecimento dos estudantes é a proposta do projeto Borboletando pelo Mundo, iniciado há três anos por alunos de uma escola pública do Distrito Federal. A história desta iniciativa é o destaque do Trilhas da Educação, programa produzido e transmitido pela Rádio MEC, que, nesta semana, homenageia o Dia Mundial da Alfabetização, comemorado em 8 de setembro. Ouça no link: https://soundcloud.com/mineducacao

Vera Lúcia Ribeiro, diretora da Escola Classe 413 Sul, em Brasília, buscava mecanismos diferenciados que auxiliassem no processo de alfabetização das crianças. Foi quando nasceu o projeto, que mobilizou professores e alunos de seis a 11 anos de idade, além da própria comunidade. “O Borboleteando é hoje conhecido em diferentes lugares e escolas. O pessoal cita porque é a identidade daqui. Ele sai do convencional e traz novos elementos que acabam agregando um conhecimento maior para as crianças”, explica.

A cada ano, o projeto leva os alunos a trabalhar com uma temática nova. Os elementos são divididos entre as turmas e permitem que as crianças “borboleteiem” por aí. “Esse ano é o Borboleteando do Brasil para o Mundo. É um trabalho de muita pesquisa de materiais, na verdade, para a execução em sala de aula. Textos que falam da cultura dos países, mas tudo é voltado para o que influenciou a cultura do Brasil”, conta.

Para a diretora, a aposta pedagógica permite uma maior integração entre alunos e professores dentro da escola, além de potencializar o trabalho em equipe e o talento individual. Todos os envolvidos têm o trabalho reconhecido, o que gera exposições e peças de teatro, por exemplo. O resultado, no entanto, pode ser diverso, uma vez que o diálogo e a cooperação são encorajados para se descobrir como cada um vai expor o que aprendeu.

“Há poucos anos, a nossa escola seria fechada por falta de alunos. E hoje não conseguimos atender a procura. Esse é o principal reconhecimento que a gente tem. Vem da própria comunidade”, conclui Vera Lúcia.

FONTE: ASCOM/MEC

Inscrição para trainee da Cultura Inglesa é prorrogada

As oportunidades são para estudantes formados entre 2016 e 2018 em qualquer curso de bacharelado

A Cultura Inglesa estendeu o período de inscrições para o processo seletivo de trainee. As oportunidades são para estudantes formados entre 2016 e 2018 em qualquer curso de bacharelado.

É necessário ter disponibilidade para viajar pela empresa e nível avançado de conhecimento em inglês. Também é importante ter bom relacionamento interpessoal e vontade de “fazer acontecer”.

Os trainees poderão atuar nos seguintes departamentos: acadêmico, financeiro, gente e gestão, mercado, operações, soluções educacionais ou de tecnologia da informação.

Provas e inscrições
A seletiva é composta de provas on-line de português, inglês e raciocínio lógico; de caráter eliminatório. Em seguida, os aprovados vão para a etapa presencial, no Rio de Janeiro, onde serão avaliados pelos futuros gestores.

Os interessados podem se candidatar até 23 de setembro, aqui. Os selecionados podem atuar nas unidades de Rio de Janeiro, Espírito Santo, Goiás, Rio Grande do Sul e Distrito Federal.

FONTE: Metrópoles