Endereço: CRS 505, Bloco A Entrada 11 Sala 105 - CEP: 70.350-510 - Asa Sul - Brasília/DF | Fone: (61) 3256-0803 | 3256-0802 | 9 9558-5735

Sinpro-DF convoca categoria para Assembleia Geral com paralisação nesta quinta (13)

A diretoria colegiada do Sinpro-DF convoca os(as) professores(as) e orientadores(as) educacionais para a Assembleia Geral, a ser realizada nesta quinta-feira (13/9), às 9h30, no estacionamento do Mané Garrincha, para discutir e aprovar a atualização da pauta de reivindicações da categoria.

Destaca a importância do comparecimento e da participação dos(as) cerca de 1.200 professores(as) nomeados(as) recentemente para a carreira do magistério público  e a relevância da colaboração de todos e todas nas discussões da pauta de reivindicações: o documento principal que determina o futuro de cada um(a) na carreira pública. A diretoria informa ainda que, durante a Assembleia, filiará  professores(as) novatos(as) e antigos(as) e confeccionará a carteirinha de associado para novatos(as) e renovará as de quem estiverem com elas vencidas.

Instituto da Áustria oferece bolsas de doutorado sanduíche e pós-doutorado

A parceria entre a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Instituto Internacional para Análise de Sistemas Aplicados (IIASA) seleciona novos pesquisadores de pós-doutorado e doutorado Sanduíche para desempenharem trabalhos na Áustria, no primeiro semestre de 2019. Os editais foram lançados dia 4 de setembro e as inscrições vão até o dia 15 de outubro.

Este é o terceiro ano consecutivo em que os editais são abertos para atender aos programas, em parceria com o IIASA. “O IIASA é instituto internacional que promove a investigação científica em questões de importância global, em áreas como tecnologia, meio ambiente e energia. Nesta edição, serão investidos R$ 667.708,00”, destaca Clarissa Soares, analista em Ciência e Tecnologia da Capes.

Segundo Clarissa, os candidatos à bolsa precisam ficar atentos a alguns requisitos que foram modificados em relação a editais anteriores. “Nesta chamada, por exemplo, há a obrigatoriedade de apresentação do certificado de proficiência em inglês. Também é importante lembrar que é preciso se inscrever tanto na Capes quanto no IIASA. É necessário preencher o formulário de inscrição nos dois sites.” As propostas que forem apresentadas somente em uma das instituições serão indeferidas.

O programa dará quatro bolsas para pós-doutorado, com duração de três a 12 meses. Para doutorado sanduíche, estão previstas três bolsas, de três a 24 meses, sendo que aos 12 meses haverá uma avaliação para confirmar a continuidade do benefício.

Os bolsistas selecionados para pesquisas de pós-doutorado vão receber da Capes mensalidades no valor de 2.100 euros (pouco mais de R$ 10.100), auxílio instalação, com o mesmo valor da mensalidade, além de seguro saúde (em torno de R$ 433 por mês) e passagens aéreas de ida e volta para a Áustria. Já referente à chamada de doutorado sanduíche, o bolsista vai receber da Capes mensalidades no valor de 1.300 euros (aproximadamente R$ 6.260), auxílio instalação do mesmo valor, seguro saúde (em torno de R$ 433 por mês) e passagens aéreas de ida e volta para a Áustria.

IIASA – Fundado em 1972, o Instituto Internacional para Análise de Sistemas Aplicados (IIASA) é uma organização científica internacional financiada por entidades de cinco continentes. Seu perfil é independente e seu trabalho não se submete a interesses políticos ou nacionais. Sua missão é fornecer informações e orientações para os formuladores de políticas em todo o mundo, encontrando soluções para os problemas globais e universais por meio de análise de sistemas aplicados, a fim de melhorar o bem-estar humano e social e proteger o meio ambiente.

Acesse o formulário de inscrição da Capes.

Acesse o formulário de inscrição do IIASA.

FONTE:ASCOM/MEC

Sinpro realiza ato por reforma e por construção de escolas no Paranoá

A diretoria colegiada do Sinpro convida os(as) professores(as), orientadores(as) educacionais, estudantes e a comunidade escolar do Paraná para um grande ato nessa terça-feira (11), às 9h, na Avenida Central da região administrativa. O sindicato e a comunidade reivindicam do poder público, a reforma e a construção de novas escolas no Paranoá.

A situação da região é dramática. As escolas têm uma demanda reprimida de milhares de vagas e os moradores do Paranoá são obrigados a estudarem em outras cidades. Diante da ausência do poder público, que não reforma e constrói novas unidades escolares, estudantes desde a educação infantil precisam sair do lugar onde moram para estudar, desterritorializando seus currículos escolares.

Nas escolas existentes, a maioria necessita urgentemente de reforma e em muitas as salas são superlotadas, o que prejudica o desempenho dos alunos. No Centro de Ensino Médio 1, por exemplo, algumas turmas chegaram a ter 50 estudantes. Além disso, outras tiveram de ser readequadas, como o caso do Centro de Educação Infantil, que tirou o refeitório e espaços importantes para poder cumprir a Lei da Universalização da Educação Infantil. “Não dá para as escolas virarem depósito de alunos. Precisamos ter qualidade de ensino. Vemos turmas superlotadas, ausência de política para a construção de escolas e investimentos para a educação. Isso é inadmissível”, ressalta a diretora do Sinpro Luciana Custódio.

Soma-se a isso a situação dramática que passa os centros de ensino fundamental 03 e 05, que contam com uma grande lista de problemas: advertências do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil com relação ao prédio, que não tem condição de segurança; e o desabamento do teto da cozinha, que atingiu uma servidora. “Precisamos voltar os olhos do poder público para o Paranoá. É preciso ser feito alguma coisa antes que tragédias aconteçam”, comenta Luciana.

Esse ato será o início de uma intensa campanha que o Sinpro realizará para a construção e reforma das escolas do Paranoá. Compareça!

Publicado edital para abertura de processo seletivo para a contratação de professor temporário

Nesta segunda-feira (3) foi publicado no Diário Oficial do DF o edital n°40/2018 da Secretaria de Educação que anuncia a seleção simplificada para a contratação de professores (as) temporários (as) da rede pública para o ano de 2019 (que também pode ser prolongado para 2020).

No edital consta a relação das disciplinas que irão compor o cadastro reserva para a contratação temporária. O período de inscrição é de 14/09 a 04/10 e o Instituto Quadrix é quem vai organizar o certame, com provas objetivas e exame médico apenas para os candidatos que se declararam com necessidades especiais. A prova está prevista para o dia 14 de outubro.

Para atuar no ensino especial e unidades especializadas, o candidato poderá apresentar certificação comprobatória de aptidão no ato da contratação (para os aprovados), seguindo o mesmo modelo que foi exigido em 2018 e 2017.

A contratação temporária é utilizada para substituições provisórias e usada na substituição de professor (a) para eventos provisórios, como substituir diretores (as), coordenadores (as) pedagógicos (as) ou professores (as) afastados por algum tipo de licença. Nestas ocasiões, as vagas não podem ser disponibilizadas para professores (as) concursados (as). Estas vagas só podem ser preenchidas pelos (as) temporários (as).

As vagas de pessoas que se aposentam ou de escolas novas são substituídas por concursados (as) e o Sinpro continua cobrando a Secretaria de Educação para que hajam mais nomeações referentes ao concurso público de 2016 dos (as) professores (as) e de 2014 do concurso dos (as) orientadores (as) educacionais.

Para ver o EDITAL Nº 40, DE 31 DE AGOSTO DE 2018, clique aqui

FONTE: SINPRO/DF

PL que garante prioridade no pagamento da pecúnia a aposentados com doenças graves é enviado à CLDF

A diretoria colegiada do Sinpro informa que o Governo do Distrito Federal enviou um novo projeto de lei para a Câmara Legislativa do DF, que dá prioridade ao recebimento da pecúnia da licença-prêmio para servidores(as) aposentados(as) com doenças reconhecidas por lei. O projeto já está na CLDF e a Comissão de Negociação do sindicato já fez contato com alguns deputados distritais pedindo agilidade na votação.

Na próxima segunda-feira (3) a diretoria do Sinpro irá à CLDF conversar com os líderes dos partidos, reforçando a urgência na votação desse projeto de lei. Uma lei com a mesma preocupação foi sancionada em dezembro de 2017, mas devido a amplitude e pela forma como foi aprovada, não atendeu a demanda. Desde então o sindicato tem insistido com o governo na correção e no envio de um novo projeto de lei para a apreciação da Câmara Legislativa, e como não foi possível a aplicação dessa lei na prática, o executivo elaborou um novo projeto.

O Sinpro vem lutando para o pagamento da pecúnia há muitos anos e entende que o recebimento desse benefício é um direito de todos, mas não pode desconsiderar a necessidade de professores aposentados com doenças graves. “A prioridade no pagamento da pecúnia para aposentados com doenças graves não comprometerá em nada no cronograma estabelecido para que o benefício acumulado desde 2016 seja pago. É importante que todos saibam que esse projeto não causará prejuízo para o pagamento da fila de pecúnias, como vem ocorrendo mensalmente”, ressalta a diretora do Sinpro Rosilene Corrêa.

FONTE: SINPRO/DF

Inscrições abertas para o seminário “Por uma educação antirrascista e sem LGBTfobia”

A diretoria colegiada do Sinpro-DF informa que as inscrições para o seminário “Por uma educação antirrascista e sem LGBTfobia” estão abertas e convida os(as) professores(as) em horário de coordenação e orientadores(as) educacionais para participarem. As inscrições podem ser feitas no site do sindicato pelo link http://www.sinprodf.org.br/seminario-por-uma-educacao-antirracista-e-sem-lgbtfobia. Maiores esclarecimentos pelo telefone 3343-4209.

Esta é a terceira edição do seminário, que será realizado no Auditório Paulo Freire, na sedo do Sinpro-DF, no Setor Gráfico, nos dias 26 e 27 de setembro. Além da importância do debate sobre as fobias sociais que incrementam a violência na escola e na sociedade, o seminário reforça o processo de formação continuada da categoria docente. O sindicato concederá certificação a quem participar.

A ideia é discutir o combate ao racismo entre professores e estudantes e outros tipos de fobias, como a LGBTfobia. “Para combater o racismo é preciso desconstruir a ideia de que não há racismo no Brasil porque ele se manifesta, em algumas situações, de maneira sutil e, em outras, de forma mais brutal, com todo tipo de violências físicas e psicológicas torturantes e assassinatos com requintes de crueldade”, explica a coordenadora da Secretaria de Raça e Sexualidade do Sinpro-DF, Élbia Pires de Almeida.

Ela afirma que a última edição do Mapa da Violência indica um crescimento de 10% no número de assassinatos de pessoas negras. “Isso não é por acaso. A gente precisa discutir o racismo porque isso não é uma questão superada na sociedade brasileira e, neste momento de recrudescimento das relações sociais que estamos vivendo no Brasil, as pessoas têm se manifestado de forma mais clara, grosseira e preconceituosa”, disse.

Nesta edição, a diretoria colegiada pretende discutir o agravamento dessas violências de forma a assegurar o combate ao racismo por meio da implantação da Lei nº 10.639/2003 e da Lei nº 11.645/2008, bem como elaborar parâmetros pedagógicos que viabilizem e estabeleçam uma educação transformadora, antirracista e sem LGBTfobia, na qual os seres humanos tenham a liberdade de ser e de vivenciar sua orientação sexual e identidade de gênero de forma livre, sem correrem riscos de ser agredidos, criminalizados, marginalizados, discriminados, excluídos e até mortos por isso.

“É importante a participação da categoria porque esse tipo de violência também ocorre dentro da escola. Além disso, a gente precisa trabalhar o processo de formação do(a) professor(a) e discutir uma educação que contribua para nossos(as) estudantes criarem a cultura de paz, uma cultura que enseja a consciência de que todos os seres humanos precisam e merecem ser respeitados e terem acesso aos mesmos direitos” afirma.

FONTE: SINPRO/DF

CONFIRA AS REGRAS PARA O RECADASTRAMENTO ANUAL OBRIGATÓRIO

A Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEE) convida os(as) professores(as) para o Recadastramento Anual Obrigatório. Com base no Decreto nº 39.276, emitido em 06 de agosto de 2018, foi instituída a obrigatoriedade de recadastramento a todos(as) os(as) servidores(as) do DF, tanto os(as) aposentados(as) quando os(as) da ativa, inclusive temporários(as), ainda que se encontrem cedidos(as), afastados(as) ou licenciados(as).
O recadastramento e a prova de vida dos(as) professores(as) aposentados(as) e pensionistas serão coordenados pelo Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Distrito Federal (IPREV/DF), nos prazos e locais especificados em ato próprio da Autarquia. Já o dos(as) servidores(as) ativos(as), excepcionalmente, o recadastramento deverá ser realizado entre 1º de novembro a 30 de dezembro de 2018. Nos anos seguintes, o recadastramento deverá ser realizado no mês do respectivo aniversário. Aos que não fizerem no prazo estabelecido, será instaurado processo administrativo disciplinar para apuração de responsabilidade.
O recadastramento dos(as) professores(as) que acumulem cargo, emprego ou função pública deverá ser procedido em cada um dos órgãos com os quais tenha vínculo.
Confira as regras para o Recadastramento Anual Obrigatório na página do Sinpro. 

FONTE: Sinpro/DF

Projeto do CEF 15 do Gama, “A vez e a voz da mulher contemporânea”, será tema do Programa Alternativo do sábado (1º/9)

O projeto intitulado “A vez e a voz da mulher contemporânea” será o tema do Programa Alternativo neste sábado (1º/9). A transmissão começa às 12h30, no SBT. Trata-se de um projeto pedagógico interdisciplinar do Centro de Ensino Fundamental nº 15 (CEF 15), do Gama, realizado em novembro de 2017.

Motivado pelo premiado projeto Mulheres Inspiradoras, da professora Gina Vieira, “A vez e a voz da mulher contemporânea” foi trabalhado com mulheres da comunidade escolar do CEF 15 do Gama e, dentre as atividades pedagógicas interdisciplinares realizadas, foram feitas releituras da história de cada mulher participante e de como cada uma superou seus desafios cotidianos.

“O projeto homenageou também mulheres que se destacaram na sociedade brasiliense e executou atividades que envolveram temas da vida da mulher que foram desde alimentação, saúde e gravidez até os desafios do mercado de trabalho, esclarecimentos jurídicos sobre pensão alimentícia entre outros. Os temas abordados exigiram a participação de todas as disciplinas, desde artes a matemática; de música a física. Os(as) estudantes pintaram quadros, compuseram uma música, realizaram levantamento estatístico entre outras tarefas escolares”, resumiu a diretora Ana Elen.

O Programa Alternativo é apresentado pelo SBT e vai ao ar sempre aos sábados, às 12h30, e mostra entrevistas e matérias com temas sobre a realidade da educação no Distrito Federal e atividades pedagógicas realizadas nas escolas da rede pública do DF. Um dos objetivos é oferecer a oportunidade para escolas e professores participarem da discussão e enviarem sugestões para os próximos programas. As pautas podem ser mandadas para o e-mail faleconoscoimprensa@sinprodf.org.br.

FONTE: Sinpro/DF

Inep abre novas inscrições para prêmio a partir desta sexta, 24

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia vinculada ao MEC, receberá novas inscrições para o Prêmio Calouro Destaque a partir desta sexta-feira, 24. Os interessados poderão se inscrever entre 10h, horário de Brasília, e 23h59 do dia 2 de setembro, exclusivamente pela internet, na página do prêmio. Os participantes inscritos até 19 de agosto ficam dispensados de realizar nova inscrição. O Inep anunciou a nova etapa e as novidades em regulamento publicado nesta quinta-feira, 23, no Diário Oficial da União.

A data da prova também foi alterada para não coincidir com o tradicional feriado do calendário escolar. A aplicação do Prêmio Calouro Destaque agora será em 21 de outubro. O critério de distribuição de prêmios também foi aprimorado, mantendo o equilíbrio regional. A principal mudança, entretanto, foi a inclusão dos estudantes de instituições de ensino superior privadas atendendo à solicitação de centenas de estudantes recém-chegados ao ensino superior.

O Inep ampliou o universo de estudantes aptos a participarem do prêmio, iniciativa para valorizar aqueles com destacado grau de desenvolvimento de competências cognitivas e para subsidiar estudos e pesquisas quantitativas e qualitativas do Instituto. O prêmio é uma parceria com a Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI).

Serão distribuídos prêmios de R$ 5 mil para mil estudantes que obtiverem os melhores resultados em uma prova de conhecimentos gerais de 80 questões, por Unidade da Federação, de modo que estudantes de todo Brasil sejam reconhecidos pelo seu desempenho.

Pode participar o estudante que cumprir, concomitantemente, três requisitos: ter concluído o Ensino Médio, ter realizado o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2017 e ser estudante brasileiro ingressante no Ensino Superior no ano letivo de 2018, regularmente matriculado em curso de graduação vinculado a qualquer área do conhecimento, na modalidade presencial, em Instituição de Ensino Superior pública ou privada.

Prova – Com quatro horas de duração, a prova de conhecimento gerais será aplicada em 21 de outubro, domingo, das 14h30 às 18h30 (horário de Brasília – DF), em 60 cidades do país. A Política de Acessibilidade do Inep garantirá a realização dos testes com os seguintes recursos de acessibilidade: prova ampliada; auxílio na leitura da prova (ledor); intérprete de Libras; sala de fácil acesso e sala para amamentação.

FONTE: Ascom/MEC

Capes concederá bolsas para o Programa Antártico Brasileiro

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), autarquia do Ministério da Educação, agora faz parte do Programa Antártico Brasileiro (Proantar), que promove o desenvolvimento da pesquisa científica, tecnológica e de inovação na região. A Capes investirá R$ 5,7 milhões no programa por meio de uma chamada pública para projetos na área. Serão 75 bolsas de estudo financiadas: 30 de mestrado, com duração de 24 meses, 30 de doutorado, com 48 meses, e 15 de pós-doutorado, com 24 meses.

As pesquisas deverão seguir nove eixos temáticos: o papel da criosfera no sistema terrestre e as interações com a América do Sul; a dinâmica da alta atmosfera na Antártica, interações com o geoespaço e conexões com a América do Sul; mudanças climáticas e o Oceano Austral; biocomplexidade dos ecossistemas antárticos, suas conexões com a América do Sul e mudanças climáticas; geodinâmica e história geológica da Antártica e suas relações com a América do Sul; química dos oceanos, geoquímica marinha e poluição marinha; ciências humanas e sociais; biologia humana e medicina polar e inovação em novas tecnologias.

Para Priscila Lelis Cagni, coordenadora de Programas de Indução e Inovação, o apoio da Capes significa um salto no desenvolvimento depesquisas na Antártica. “É um estímulo para a formação de recursos humanos para a pesquisa em ciência na Antártica. Um dos grandes gargalos identificados no programa é a formação de uma nova geração de cientistas brasileiros para atuação no programa nos próximos anos. Além do desenvolvimento brasileiro, o programa auxilia na interação com as bases de diversos países e favorece a internacionalização da pesquisa brasileira.”

As propostas devem ser apresentadas até 8 de outubro. O resultado final será divulgado em 30 de novembro deste ano. Participam da chamada pública o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicação (MCTIC), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), e o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT). O investimento total será R$ 18 milhões.

Criado em 1982, o Proantar incluiu o Brasil no grupo de 29 países que definem o futuro da Antártica e do Oceano Austral. O objetivo do programa é ampliar o conhecimento científico no continente gelado para compreender os fenômenos que ali ocorrem e a influência deles sobre o território brasileiro.

FONTE: Ascom/MEC