Endereço: CRS 505, Bloco A Entrada 11 Sala 105 - CEP: 70.350-510 - Asa Sul - Brasília/DF | Fone: (61) 3256-0803 | 3256-0802 | 9 9558-5735

9ª Mostra Audiovisual Joaquim Venâncio começa dia 26/6

A Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz) promove, nos dias 26 e 27 de junho, a 9ª Mostra Audiovisual Joaquim Venâncio. O evento reúne curtas-metragens produzidos por estudantes de diversos estados do Brasil e de outros países. No ano passado, alunos do quarto ano do ensino médio, da habilitação de Análises Clínicas, da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz) tiveram reconhecimento nacional e internacional com o filme Contracorrente. O curta-metragem, que conta a história de um menino incrédulo que recebe mensagens anônimas pelo celular que mudam o curso de sua vida, foi exibido pela primeira vez na edição de 2018, e, além de ser selecionado para exibição em festivais de cinema, mais recentemente, o filme foi exibido no Programa Curta Mostra Geração, da TV Escola.

Na edição de 2019, a mostra promete mais sucessos cinematográficos. Dos 50 vídeos inscritos, 27 foram selecionados para a exibição, incluindo produções dos estados do Rio de Janeiro, Tocantins e Rio Grande do Norte e também da Argentina. Entre as temáticas que perpassam os filmes estão o feminismo, o preconceito racial e o bullying. Criada em 2011, a Mostra já recebeu mais de 300 filmes e exibiu cerca de 200 vídeos de diversas partes do Brasil e de outros países como Itália, Espanha e Portugal.

Segundo o professor-pesquisador da EPSJV, Gregório Albuquerque, que coordena a atividade, a mostra se configura, principalmente, como uma proposta de incentivo, buscando aproximar alunos de escolas públicas – “historicamente distantes de processos de utilização de tecnologias associadas à estética” – do exercício da investigação e do pensamento. “Tudo isso indo além do tecnicismo e da preocupação exclusiva com o produto final, provocando a discussão acerca das produções audiovisuais e de sua homogeneização”, destaca.

A grande novidade da 9ª edição ficou por conta de três concursos lançados no início do ano. Em um deles, os alunos poderiam contribuir na construção de uma vinheta coletiva, postando em uma rede social um vídeo mostrando transformações ocorridas em um espaço de tempo de nove minutos, nove horas, nove dias, nove semanas, nove meses ou nove anos. 

Outro concurso foi o Retros 90, uma campanha para reunir fotos de brinquedos, de objetos e trailers de filmes da década de 90. “Vamos construir um mural de memórias com as fotos enviadas pelos alunos”, adianta Gregório, que anuncia outra atração do evento: “Na tarde do primeiro dia acontece ainda uma apresentação de cosplay, concurso com as inscrições abertas para qualquer aluno se apresentar vestido de algum personagem e realizar uma cena de algum filme, clipe ou comercial. A melhor caracterização ganhará um troféu”.

Programação

A manhã dos dois dias será dedicada à exibição dos curtas-metragens. Um deles é de alunos do Colégio Pedro II, do campus Centro, do Rio de Janeiro. O “Todos em uma” faz uma homenagem a mulheres brasileiras e estrangeiras que contribuíram de alguma forma, seja na área da cultura, das artes, da literatura ou da educação, através de imagens e falas que expressam o protagonismo da mulher na sociedade. Já a Fundação Educandário Princesa Isabel, de Petrópolis (RJ), traz o curta “Cabelo ruim?”, que discute a relação que os jovens têm com o seu cabelo. O Núcleo de Educação da Infância, de Natal (RN), irá apresentar “Limbo (ou de quem sofre bullying)”, que mostra como atos violentos, intencionais e repetitivos atingem as crianças.

Na tarde do dia 27 serão exibidos os curtas “Volta que deu errado”, produzido pelos alunos do ensino médio da EPSJB, na disciplina de Audiovisual, e “Nada Além da Noite” e “Adé de Erê”, dos ex-alunos da Escola Politécnica, Leonardo Maciel e Thais Ayomide, respectivamente. Os curtas serão seguidos de uma roda de conversa, mediada pelo coletivo de Negrxs do Politécnico, com a participação da atriz Léa Garcia.  “Vamos falar sobre a representação das pessoas pretas na mídia. É importante fazer com que essa população seja vista”, afirma Joyce Rodrigues, aluna 3º do ensino médio, da habilitação de Análises Clínicas, da EPSJV/Fiocruz, e coordenadora do coletivo de Negrxs.

Audiovisual e Educação

A partir da necessidade de criação de um espaço dedicado a trocas de experiências pedagógicas entre os professores da educação básica sobre o tema, a EPSJV/Fiocruz criou, em 2018, o Seminário de Audiovisual e Educação. Nesta segunda edição, que será realizada no dia 28 de junho, o seminário traz uma palestra sobre cinema e ciência, com o antropólogo e professor da Universidade Federal de Goiás, José Ribeiro.

Durante a tarde, serão apresentados 19 trabalhos de professores de seis estados do país – Paraná, Maranhão, Goiás, Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro. “Com a apresentação e debate desses trabalhos científicos sobre audiovisual, pretendemos promover a circulação e o fortalecimento de diferentes propostas teórico-metodológicas, a ampliação de referências teóricas e sua apropriação de acordo com sua realidade educacional”, afirma Gregório.

Conheça a programação.

FONTE: ASCOM/FIOCRUZ

Inscrições prorrogadas para colaborações com a Revista Mercosul Audiovisual

Novo prazo para envio de textos para a publicação é 31 de julho. Tema da revista será “Educação, Infância e Audiovisual”

Foram prorrogadas até 31 de julho as inscrições para envio de artigos e resenhas para a segunda edição da Revista Mercosul Audiovisual, produzida pela Reunião Especializada de Autoridades Cinematográficas e Audiovisuais do Mercosul (Recam). Coordenada pela Secretaria do Audiovisual da Secretaria Especial da Cultura, a publicação terá como tema Educação, Infância e Audiovisual.

Podem participar do concurso artigos escritos por autores dos países integrantes e associados do Mercosul. Serão admitidos trabalhos em português e em espanhol, que deverão ser enviados por e-mail para o endereço revista@recam.org. Para saber mais sobre o concurso, confira aqui o regulamento.

A Revista faz parte do plano de trabalho da Recam como uma conexão entre o setor público e a Academia, buscando facilitar a divulgação, reflexão e debate sobre as questões relacionadas à integração audiovisual do Mercosul. A primeira edição da revista, com o tema Patrimônio Audiovisual, está disponível em espanhol, português e inglês neste link. As apresentações audiovisuais dos trabalhos também estão disponíveis.

FONTE: ASCOM/Secretaria Especial da Cultura – Ministério da Cidadania

João Carlos Martins rege Orquestra Filarmônica Estrelas da Serra, de Croatá/CE, em São Paulo

Terceiro concerto do “Orquestrando o Brasil” será realizado no Centro de Tradições Nordestinas com entrada gratuita 

O maestro João Carlos Martins irá reger a Orquestra Filarmônica Estrelas da Serra, de Croatá/CE, no Centro de Tradições Nordestinas (CTN), localizado na zona norte de São Paulo, no domingo (30), às 20h30. O espetáculo faz parte de uma série de concertos que o “Orquestrando o Brasil” vem realizando pelo país, com grupos musicais integrantes do projeto, sob a regência do maestro João Carlos Martins, como ocorreu em Taubaté/SP e Maringá/PR este ano e a apresentação irá encerrar a tradicional festa junina do CTN.

Formada por crianças e jovens alunos da rede pública municipal e estadual de Croatá, cidade localizada no nordeste do Ceará, a Orquestra Filarmônica Estrelas da Serra foi fundada em 2009 pelo guarda municipal José Hélio Júnior. Atualmente, conta com a parceira do governo do Estado do Ceará, Enel e Expresso Guanabara, através da lei estadual de incentivo à Cultura.

O apoio obtido através do Projeto Caminhos Musicais Guanabara, da empresa de ônibus Expresso Guanabara, possibilitou a ascensão da orquestra, diversificando a agenda com turnês em outras cidades e estados. Além da doação de instrumentos musicais novos, a Guanabara mantém a sede da orquestra, local onde funciona a escola de música, que beneficia mais de 300 crianças e jovens de baixa renda do município, com ensino de música em diversos instrumentos.

Com a participação de 40 músicos, com faixa etária a partir dos 12 anos, a Orquestra levará para o CNT um repertório com composições de grandes nomes da música nordestina. “Será um concerto para se emocionar, cantar e dançar. Iremos registrar esse momento gravando um DVD institucional do concerto”, comentou o maestro Hélio.

“A interligação dos grupos musicais integrantes do Orquestrando o Brasil é um dos objetivos desse projeto que vem fazendo história pelo país”, disse o maestro João Carlos Martins. No sábado, o maestro será homenageado pelo Governo de São Paulo, na abertura do 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão/SP, pelo trabalho que faz em prol da música.

Orquestrando o Brasil

Idealizado pelo maestro João Carlos Martins e realizado em parceria com a Fundação Banco do Brasil, SESI e FIESP, o “Orquestrando o Brasil” é uma plataforma digital para disseminação de conteúdo, oferecendo capacitação para regentes e músicos, além de ser uma ferramenta para a troca de conhecimento. O portal visa construir uma relação permanente e online de suporte e informação. A plataforma dá apoio para que, a partir dos recursos humanos e físicos de cada comunidade, os envolvidos possam liderar um movimento de expansão ou consolidação da música local. Um canal de comunicação, informação e interação, que tem o objetivo de unir os músicos.

Criado em junho de 2018, o “Orquestrando o Brasil” tem 430 orquestras e bandas participantes, um universo que representa mais de quinze mil músicos, com grupos musicais de 180 municípios espalhados pelos estados de Alagoas, Ceará, Distrito Federal, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.

Serviço:

Concerto São João Sinfônico

Orquestra Filarmônica Estrelas da Serra, sob regência do maestro João Carlos Martins

Dia: 30 de junho (domingo)

Horário: 20h30

Local: CTN – Rua Jacofer, 615, bairro do Limão. São Paulo – SP

Telefone:(11)3488-9400 – http://www.saojoaodenoistudim.com.br/

Entrada Gratuita

FONTE: ASCOM/Orquestrando o Brasil

Centro Técnico Audiovisual oferece oficinas gratuitas para jovens

Por meio de parceria com a Firjan e o Senai, centro técnico da Secretaria do Audiovisual oferece capacitação em iluminação, sonorização e fotografia

O Centro Técnico Audiovisual (CTAv) da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cidadania retoma parceria com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Um novo grupo de capacitações gratuitas em audiovisual é lançado, com três temas disponíveis para a escolha do cidadão: A luz no cinema e na Tv, com Edinho Alves; A construção sonora de uma obra audiovisual, por Pedro Coelho; e Still de cinema, com Vantoen Pereira Júnior.

Os interessados têm entre essa segunda (24) e o dia 28 de junho para preencher o formulário online de inscrição, podendo submeter o pedido para mais de uma oficina. A idade mínima para participação é de 16 anos e não há necessidade de experiência e/ou conhecimento prévio na área.

São 50 vagas disponibilizadas para cada oficina, que serão preenchidas segundo a ordem de inscrição, priorizados aqueles que tenham renda mensal familiar inferior ou igual a três salários-mínimos (R$2.994,00).

A lista de selecionados será publicada na semana seguinte às inscrições, no site do CTAv. As capacitações acontecem em julho no Centro Técnico Audiovisual, que fica localizado na Av. Brasil, 2482, Rio de Janeiro. Para mais informações, contate formacao.ctav@cultura.gov.br.

Veja abaixo os descritivos de cada oficina e acesse o formulário de inscrição:

A luz no cinema e na tv

A iluminação é um dos mais enigmáticos elementos da sétima arte. Característica marcante de diversos gêneros do Cinema (ex. Cinema Noir), tem em sua técnica capacidade de criar ambientações diversas. A tecnologia digital vem proporcionando à televisão uma aproximação da estética cinematográfica.

Professor Edinho Alves: Técnico em eletricidade e iluminação para cinema e vídeo, já trabalhou em mais de cinquenta longas nacionais e, aproximadamente, vinte produções estrangeiras

Data: Dias 08 de julho (segunda-feira), 10 de julho (quarta- feira) e 12 de julho (sexta-feira)
Duração: 12 horas
Ementa:

  • Como relacionar Luz e Gênero Cinematográfico
  • Como a Iluminação em Tv se aproxima da Linguagem Cinematográfica?
  • Princípios de iluminação

A Construção Sonora de uma obra audiovisual

A evolução tecnológica proporcionou e vem proporcionando ao cinema a exploração de novas dimensões narrativas e dramáticas para suas estórias. Uma das mais relevantes e que ainda concentra muitos mistérios e mitos é a dimensão sonora, tanto nas telas quanto fora delas. Essa paixão humana pelo som tem proporcionado grandes investimentos e melhorias no mercado audiovisual. Para acompanhar esses avanços, os profissionais de áudio e até do cinema como um todo, precisam se manter atualizados tanto em linguagem sonora quanto em técnicas de produção de áudio.

Professor Pedro Coelho: Professor do curso de sound design e trabalha na criação filmes de animação e ficção, como “Vidas Cruzadas”, “Missão Madrinhas de Casamento”

Data:  Dias 24 de julho (quarta- feira) e 26 de julho (sexta-feira)
Duração: 8 horas
Ementa:

  • O que é o som? Estímulo sensorial e fenômeno físico.
  • Qual é e como se dá a nossa relação com ele?
  • Breve história do som no cinema.
  • Workflow da produção de áudio para o audiovisual. Da pré-produção até a finalização na pós-produção.
  • A importância do som na pré-produção.
  • O áudio na produção e no set.
  • Etapas da pós-produção.
  • Explorando a linguagem sonora e as dimensões dramáticas e narrativas do som.
  • Construindo um conceito sonoro coerente e objetivo para o projeto audiovisual.

Still de Cinema

O trabalho de um fotógrafo de Still de Cinema, é um profissional que acompanha as filmagens, fazendo o “making of” do trabalho e produzindo fotos que serão usadas para a divulgação na imprensa, cartazes e folders.

Professor Vantoen Pereira Júnior: Fotógrafo há 40 anos, atuando em produções cinematográficas, foto jornalística e publicitária, TV e Vídeo.

Data: Dias 29 de julho (segunda-feira) e dia 31 de julho (quarta- feira)
Duração: 8 horas
Ementa:

  • O que é Still? O que é Still no Cinema?
  • Trabalho em equipe.
  • Relação com diretor de fotografia.
  • Interpretação de Roteiro, etilos de cenas
  • O Cartaz

FONTE: ASCOM/Secretaria Especial da Cultura – Ministério da Cidadania


Inscrições abertas para oficina sobre mercado brasileiro de televisão

Aulas serão realizadas no Centro Técnico Audiovisual (CTAv), no Rio de Janeiro, de 16 a 17 de julho. Interessados podem se inscrever até esta sexta-feira (21)

O Centro Técnico Audiovisual (CTAv), ligado à Secretaria Especial da Cultura do Ministério da Cidadania, está com inscrições abertas até esta sexta-feira (21) para a oficina sobre o mercado brasileiro de televisão. A oficina será realizada nos dias 16 e 17 de julho na sede da instituição, no Rio de Janeiro. Serão oferecidas 50 vagas para alunos com idade a partir de 16 anos. Clique neste link para preencher o formulário de inscrição.

Com dois dias de duração, a oficina vai abordar, na primeira parte, a TV aberta. Serão analisados a programação, o modelo de negócio e o posicionamento de mercado das maiores redes abertas do Brasil, revelando ainda como suas marcas e estratégias foram construídas.

Já na segunda etapa, o tópico será a TV por assinatura, com a apresentação dos conceitos fundamentais do mercado de televisão paga, exploração das tendências do setor, abordagem da cadeia produtiva da TV por assinatura (definição; modelo de negócio; principais players e casos de sucesso), apontamento de outros formatos de canais (televendas; religiosos; canais de áudio; TVs corporativas; pay-per-view) e, por fim, uma análise TV paga versus TV aberta: diferença nos modelos de negócio; must carry; redes abertas como fornecedoras de conteúdo.

As vagas serão preenchidas segundo a ordem de inscrição, priorizados aqueles que tenham renda mensal familiar inferior ou igual a três salários-mínimos (R$ 2.994,00).

Mais informações podem ser consultadas pelo e-mail formacao.ctav@cultura.gov.br.

FONTE: ASCOM/ Secretaria Especial da Cultura – Ministério da Cidadania

‘O lugar da literatura na imprensa hoje’ é o tema do mês de junho do Seminário ‘Brasil, brasis’

A Academia Brasileira de Letras dá continuidade à sua série de Seminários “Brasil, brasis” de 2019 com o tema O lugar da literatura na imprensa hoje, sob coordenação geral do Acadêmico, professor, escritor e poeta Domício Proença Filho (quinto ocupante da Cadeira 28, eleito em 23 de março de 2006), e coordenação do Acadêmico e romancista Antônio Torres (Oitavo ocupante da Cadeira 23, eleito em 7 de novembro de 2013). Participante convidado: jornalista e escritor Rogério Pereira. O seminário está programado para o dia 25 de junho, terça-feira, às 17h30min, no Teatro R. Magalhães Jr, Avenida Presidente Wilson, 203, Castelo, Rio de Janeiro. Entrada franca.

O Seminário Brasil, brasis, com entrada franca e transmissão ao vivo pelo Portal da ABL, tem patrocínio do Bradesco.

Acadêmico Antônio Torres convida para o Seminário Brasil, brasis de junho”

O CONVIDADO

Rogério Pereira nasceu em Galvão (SC), em 1973. É jornalista, editor e escritor. Em 2000, fundou em Curitiba o jornal de literatura Rascunho. De janeiro de 2011 a abril de 2019, foi diretor da Biblioteca Pública do Paraná. Entre as curadorias realizadas, destacam-se as bienais do livro do Paraná, Manaus e Minas. Em 2006, criou o projeto Paiol Literário, do qual participaram cerca de 70 escritores. Tem contos publicados no Brasil, Alemanha, França e Finlândia. É autor do romance Na escuridão, amanhã, finalista do prêmio São Paulo de Literatura, menção honrosa no Prêmio Casa de Las Américas (Cuba), e traduzido na Colômbia.

FONTE: ASCOM/Academia Brasileira de Letras

Série ‘Música de Câmara na ABL’ do mês de junho apresenta concerto do pianista Rogério Duarte

A Academia Brasileira de Letras, dando continuidade à sua série “Música de Câmara na ABL” de 2019, apresenta concerto do pianista Rogério Duarte, no dia 18 de junho, terça-feira, às 12h30min, no Teatro R. Magalhães Jr., Avenida Presidente Wilson, 203, 1º andar, Castelo, Rio de Janeiro. O Presidente da Academia, Marco Lucchesi, fará a abertura do espetáculo. Entrada franca.

PROGRAMA:

PARTE I

1) F. Chopin (1810 – 1849) – Polonaise, Op. 26 N.1

2) C. Debussy (1862 – 1918) – 2 Prelúdios:

– La Fille Aux Cheveaux de Lin

– La Cathédrale Engloutie

3) Aram Khachaturian (1903 – 1978) – Toccata

PARTE II

5) Eduardo Dutra – Prelúdio, Op 16 N. 4

6) Francisco Mignone (1897 – 1986) – 6 Prelúdios para Piano

7) H. Villa-Lobos (1887 – 1959) – Ciclo Brasileiro:

– Plantio do Caboclo

– Impressões Seresteiras

– Festa no Sertão

– Dança do Índio Branco

Saiba mais

Músico, compositor e eventual escritor, Rogério Duarte (22 anos) participou de concursos de poesias, crônicas e composição musical. Formado em música pela rede Faetec, tem experiência com coral e banda de sopros nas áreas de técnica vocal e regência, respectivamente, bem como aulas de piano/teclado.

Rogério Duarte vem-se apresentando em sua experiência com coros, solista e banda sinfônica em importantes teatros e salas de concerto do Brasil. É formado em Licenciatura em Música pela Unirio. Atua como pianista acompanhador/solista e professor. Integra, desde 2017, como pianista, a atração “Bitucanto, um espetáculo em homenagem a Milton Nascimento”, apresentado pelo Coro de Câmara da Escola de Música Villa-Lobos. Atualmente, trabalha como professor de Educação Musical – Colégio QI. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Educação Musical.

FONTE: ASCOM/Academia Brasileira de Letras

Ancine divulga estudo sobre raça e gênero de participantes de editais

Projetos dirigidos por mulheres, que representavam 27% das do total de inscrições, chegaram a 32% dos selecionados. Já no quesito racial, 4% dos projetos inscritos eram de diretores e diretoras que se declararam pretos, percentual que subiu para 5,7% dos selecionados

A Agência Nacional do Cinema (Ancine), instituição vinculada ao Ministério da Cidadania, divulgou nesta quinta-feira (13) um levantamento de dados inéditos feito pela Superintendência de Análise de Mercado sobre raça e gênero dos participantes dos editais do Fundo Setorial do Audiovisual em 2018. Esse estudoapresenta percentuais de diretores e roteiristas, por raça e gênero, inscritos e selecionados nesses editais, e são os primeiros dados da política de cotas introduzida pela agência desde 2018. Projetos dirigidos por mulheres, que representavam 27% das do total de inscrições, chegaram a 32% dos selecionados. Já no quesito racial, 4% dos projetos inscritos eram de diretores e diretoras que se declararam pretos, percentual que subiu para 5,7% dos selecionados.

Foram analisados oito editais com processos de seleção concluídos. Três foram operacionalizados pela Ancine: Comercialização de CinemaProdução para Cinema – Concurso; e Produção para Cinema – Fluxo Contínuo. Dessas três chamadas públicas, somente a de Produção para Cinema – Concurso continha indutores de raça e gênero, com a previsão de que no mínimo 35% dos recursos disponibilizados no edital deveriam ser investidos em projetos dirigidos por mulheres e no mínimo 10% seriam direcionados para projetos por pessoas negras ou indígenas. Nos cinco editais operados pela Secretaria do Audiovisual da Secretaria Especial da Cultura do Ministério da Cidadania, havia cota de 50% para mulheres e 25% para negros. No total, esse primeiro levantamento contempla mais de 1.400 inscrições de projetos audiovisuais.

A Ancine atualiza também, com dados de 2017 e 2018, o estudo sobre a participação das mulheres no audiovisual. Houve aumento da participação feminina nas atividades de direção, roteiro e direção de fotografia, com incremento de dois pontos percentuais. A participação feminina da produção executiva também aumentou um ponto percentual (41%). No entanto, assim como nos anos anteriores, o destaque ficou para a atividade de direção de arte, onde a presença feminina ultrapassou a masculina (57%). Os dois estudos estão disponíveis no OCA – Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual

FONTE: ASCOM/Agência Nacional do Cinema (Ancine) – Ministério da Cidadania

Cineasta e roteirista Joel Zito Araújo fala na ABL sobre o ‘Negro no cinema brasileiro’

O Cineasta, roteirista e produtor Joel Zito Araújo faz na Academia Brasileira de Letras a palestra de encerramento do Ciclo “Vozes d’África na cultura brasileira”, intitulada “O Negro no cinema brasileiro”, sob a coordenação do Acadêmico e professor Domício Proença Filho. O evento está programado para o dia 27 de junho, quinta-feira, às 17h30min, no Teatro R. Magalhães Jr., Avenida Presidente Wilson, 203, Castelo. Entrada franca.

A Acadêmica e escritora Ana Maria Machado é a coordenadora geral dos Ciclos de Conferências de 2019.

Acadêmico Domício Proença Filho convida para o ciclo “Vozes d’África na cultura brasileira”

Serão fornecidos certificados de frequência.

O CONFERENCISTA

Premiado diretor conhecido por tematizar o Negro na sociedade brasileira. Cineasta, roteirista e produtor, curador de festivais, é doutor em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, e pós-doutor pelo Departamento de Rádio, TV e Cinema na Universidade do Texas, em Austin-EUA, onde também foi professor do mesmo departamento.

Joel Zito Araújo, nascido em novembro de 1954, dirigiu 29 curtas e médias documentais e ficcionais, dentre os quais destacam-se São Paulo abraça Mandela (1991), Retrato em preto e branco (1993), A Exceção e a Regra (1997) e Vista Minha Pele (2003). Em 1999, finalizou seu primeiro longa para a TV, o documentário O efêmero Estado União de Jeovah, sobre uma revolta camponesa liderada por Negros no norte do Espírito Santo. Dois anos depois, lançou A Negação do Brasil, que aborda a trajetória do personagem Negro nas novelas brasileiras, com impressionante trabalho de pesquisa que deu origem a um livro homônimo. A Negação do Brasil recebeu o título de melhor filme brasileiro do É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários, de 2001, e foi selecionado para vários festivais pelo mundo. Em 2004, finalizou seu primeiro longa-metragem de ficção, As Filhas do Vento, que ganhou oito Kikitos no Festival de Gramado. Entre eles, melhor filme segundo a crítica, melhor diretor, ator e atriz. Na Mostra de Cinema de Tiradentes, foi escolhido melhor filme pelo público e participou, ainda, de festivais em várias partes do mundo, como Índia, China, França, Alemanha, EUA, África do Sul e Burkina Faso. Em 2009, lançou o documentário Cinderelas, Lobos e um Príncipe Encantado. Na semana de lançamento no canal GNT, o filme obteve 1,5 milhão de espectadores, colocando o canal no terceiro lugar de audiência em seu segmento. Para a televisão, Joel Zito Araújo dirigiu o programa Espelho no Canal Brasil, criado e apresentado por Lázaro Ramos.

Em 2013 lançou o documentário Raça, um filme que traça um painel do debate racial no Brasil contemporâneo. O filme foi codirigido com a vencedora do Oscar, Megan Mylan, e participou de grandes festivais como Hors Concours no Festival de Cinema do Rio de Janeiro de 2012, na competitiva do Pan-African Film Festival of Ouagadougou (FESPACO) em fevereiro de 2013, no 35.° Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano em Havana, Cuba, em dezembro do mesmo ano, e no Festival de Cinema Latino-Americano de Tulouse (Cinelatino) em 2014.

Fez recentemente a première mundial do seu novo longa Meu Amigo Fela/My Friend Fela no IFFR – International Film Festival Rotterdam, recebeu o prêmio Paul Robeson (melhor filme da Diáspora) no FESPACO / Burkina Faso e o Prêmio Especial do Júri Internacional do Festival É Tudo Verdade 2019Atualmente, prepara a rodagem do seu novo longa ficcional, O Pai da Rita.

Autor de vários artigos para jornais e revistas do Brasil e do exterior, e dos livros A Negação do Brasil – o Negro na Telenovela Brasileira (Ed. Senac) e O Negro na TV Pública (Ed. Fund. Palmares). 

FONTE: ASCOM/Academia Brasileira de Letras

Academia Brasileira de Letras e Corpo de Fuzileiros Navais abrem Concurso de Crônicas

A Academia Brasileira de Letras e o Comando-Geral do Corpo de Fuzileiros Navais instituíram, com inscrições abertas desde o dia 3 de junho a 6 de setembro deste ano, o Concurso de Crônicas destinado à concessão do Prêmio ABL/CFN Rachel de Queiroz – Fuzileiros Navais – 2019. O tema escolhido foi “Determinação: um dos valores essenciais dos Fuzileiros Navais”.

O concurso destina-se a estudantes que estejam cursando os 8º ou 9º anos do Ensino Fundamental, no presente ano letivo, no Estado do Rio de Janeiro, devidamente orientados por um (a) Professor (a) do estabelecimento que estejam matriculados. Não serão aceitos trabalhos de parentes dos integrantes da Comissão Julgadora. Os autores das três melhores crônicas serão premiados, cada um, com um tablet, além de um diploma.

O trabalho encaminhado deverá ser inédito. Entende-se por inédita, a obra não editada e não publicada parcialmente ou em sua totalidade, em livros, antologias, coletâneas, suplementos literários, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, inclusive as redes sociais da internet. Deverá estar impresso em papel de formato A4, com margens de 2,5cm, digitado em espaço 1,5, fonte no estilo “Times New Roman”, tamanho 12 e cor preta, não podendo exceder a 2 (duas) laudas.

regulamento e ficha de inscrição estão disponíveis nesta matéria e no site www.marinha.mil.br/cgcfn.

FONTE: ASCOM/Academia Brasileira de Letras