Endereço: CRS 505, Bloco A Entrada 11 Sala 105 - CEP: 70.350-510 - Asa Sul - Brasília/DF | Fone: (61) 3256-0803 | 3256-0802 | 9 9558-5735

Prêmio Nacional de Educação em Direitos Humanos 2014

safe_imageInstituído pelo Ministério da Educação – MEC, o Prêmio Nacional de Educação em Direitos Humanos está destinado a instituições educacionais e órgãos gestores da educação nos estados e municípios. Podem participar instituições públicas e privadas de educação básica e superior, secretarias estaduais e municipais de educação e instituições de educação não formal. Essas instituições poderão inscrever trabalhos desenvolvidos em parceria com outras instituições ou organizações da sociedade civil, como associações de pais e mestres, grêmios estudantis, diretórios acadêmicos, conselhos escolares, municipais e estaduais de educação etc. Todos os trabalhos apresentados, inclusive os desenvolvidos em parceria, deverão ser inscritos em nome da instituição, mencionando os demais participantes. No formulário de inscrição deverão constar os contatos do coordenador do trabalho.

Pensado no princípio de coletividade, não serão aceitos trabalhos concebidos e executados individualmente. O Prêmio Nacional de Educação em Direitos Humanos é uma iniciativa voltada para a reflexão sobre os resultados obtidos com os projetos de Educação em Direitos Humanos. Por isso, não serão aceitos trabalhos sobre projetos que ainda não foram realizados. Apenas poderão se inscrever experiências com data de início anterior a janeiro de 2014 e que poderão estar em curso no momento da inscrição.

Em sua primeira edição, em 2008, o Prêmio Nacional de Educação em Direitos Humanos objetivou a identificação e valorização de experiências educacionais significativas para a promoção de uma cultura de direitos humanos, envolvendo o conhecimento e a defesa dos direitos fundamentais, atividades de respeito às diversidades e de práticas democráticas no ambiente educacional. Nesta oportunidade, foram 350 experiências inscritas. São Paulo foi o estado com o maior número de trabalhos inscritos (86), seguido por Rio Grande do Sul (40), Rio Janeiro (38) e Minas Gerais (26). Participaram 35 Secretarias Estaduais e Municipais de Educação, 153 Escolas Públicas e 65 Escolas Privadas de Educação Básica, 92 Departamentos ou Faculdades de Instituições de Educação Superior Públicas e Privadas.

Em 2010, na segunda edição do Prêmio Nacional de Educação em Direitos Humanos manteve o mesmo objetivo; foram 220 projetos inscritos em sua segunda edição. A maioria advinda da região Sudeste, que reúne 93 trabalhos. A região Norte do país contou com 7 projetos, e 39 são do Nordeste, 41 do Centro-Oeste e 48 do Sul.

Na terceira edição do Prêmio, em 2012, inscreveram-se mais de 250 trabalhos vindos de todos os estados da federação, apresentados por instituições públicas e privadas de educação básica e superior, além de secretarias estaduais e municipais de educação.

Em 2014 permanecem as mesmas categorias das edições anteriores, sendo que, nesta quarta edição do Prêmio, a menção honrosa será outorgada a experiências especificamente realizadas na área da educação indígena. Entende-se por essa temática todas as atividades de formação de educadores/as para uma atuação em Direitos Humanos vinculada à educação indígena.

Prêmio Nacional de Educação em Direitos Humanos quer dar igualdade de oportunidades a todas as instituições. Por isso, as inscrições são gratuitas e podem ser feitas via internet, pelo sitehttp://www.educacaoemdireitoshumanos.sdh.gov.br/inscricao, ou por correio, como carta registrada ou Sedex, com Aviso de Recebimento, endereçado a:
Prêmio Nacional de Educação em Direitos Humanos
SHS Quadra 6 Conj. A Bloco C
Ed. Brasil 21, Sala 919
CEP 70316-000
Brasília – DF

 

2057_image003

Panorama das Culturas Populares e Tradicionais no Distrito Federal

anuncio_panorama_siteA riqueza das culturas populares e tradicionais do Distrito Federal precisa ser mapeada e difundida para além das comunidades onde são produzidas. Assim, para definir o cenário de atuação dos grupos e comunidades produtores de culturas populares e tradicionais no Distrito Federal, as cidades de Brazlândia, Gama, Paranoá, Planaltina, São Sebastião e Taguatinga sediaram, em março e abril, seis rodas de conversa nas quais foram discutidas políticas públicas para as culturas populares aqui e no Brasil. Os debates fazem parte do Panorama das Culturas Populares e Tradicionais no Distrito Federal. Durante as conversas, foi feito um levantamento sobre o perfil dos profissionais envolvidos na cadeia produtiva do Artesanato, do Circo e das Culturas Populares. O evento se encerra nos dias 7 e 8 de junho, na Casa do Cantador, em Ceilândia, com apresentação dos resultados da pesquisa, seminário, debates, oficinas, apresentações artísticas, feira gastronômica e de negócios.

 

Para chegar aos resultados do censo, foram entrevistados artesãos, artistas, mestres, pesquisadores, produtores, técnicos, dentre outros, além de grupos informais. O objetivo do levantamento é identificar também profissionais que não constem nos bancos de dados oficiais da Secretaria de Estado de Cultura do Distrito Federal, como o Cadastro de Ente e Agente Cultural (CEAC) e no Sistema Geral para Contratação Artística (SISCULT). Em março, as reuniões ocorreram em São Sebastião, Paranoá e Taguatinga. Em abril, os debates aconteceram no Gama, Planaltina e Brazlândia. Além da divulgação, durante o evento de encerramento, os resultados da pesquisa e das rodas serão anunciados na imprensa, nas redes sociais e no catálogo impresso, contendo dados de contato de artistas, empresas, entidades e grupos dos setores pesquisados, proporcionando mais visibilidade aos seus trabalhos.

 

Entrada franca.

Para mais informações: (61) 3321-9922.

Classificação indicativa livre.

Programação

Sábado (7/6) 

10h – Roda de Mestres: Martinha do Coco (Paranoá), Tamatatíua Freire )Ruiter Lima(Tribo das Artes), Gilvan do Vale (Tambor de Crioula de Seu Teodoro), Chico de Assis (Casa do Cantador – Ceilândia) e Chico Simões (Mamulengo Presepada – Taguatinga).

10h às 12h – Oficina Mídias e Redes Sociais: Comunicação eficiente com Angelica Elisa.

10h às 19h – Feira de Artesanato.

11h – Abertura / Apresentação dos resultados da pesquisa Panorama das Culturas Populares e Tradicionais do Distrito Federal / Debate I. Palestrantes: Eduardo Cabral, Francisco de Assis Chagas (Casa do Cantador), Carolina Palhares e Lara Amorim. Participação do público.

11h às 19h – Feira de Gastronomia.

14h – Oficina Direção de Palco – Humberto Pedrancini.

14h30 – Chico de Assis e João Santana.

16h30 – Debate II: Políticas públicas para as culturas populares e tradicionais. Mediação: Lara Amorim. Palestrante:Daniel Castro (Secretaria de Cidadania e da Diversidade Cultural/MinC), Marcelo Manzatti (Colegiado de Culturas Populares do DF) e Aldinei de Oliveira Silva, Diretor de Promoção de Culturas Populares. . Participação do Público.

16h – Bruttos e Bruttas da Catira (Planaltina).

17h – Grupo de Capoeira Sol Nascente (Ceilândia).

18h – Tamnoá (Paranoa).

 

Domingo (8/6)

 

10h – Oficina Assessoria de Imprensa, Release, Montagem de Portfólio e outros temas relacionados à comunicação com Maria Alice Monteiro (Editora da Brasíliagenda).

10h às 19h – Feira de Artesanato.

11h – Debate III: Invisibilidade nos Meios de Comunicação de Massa. Mediação: Lara Amorim. Palestrantes:Marcos Linhares (Agência C7), Ailton Velez (Menino de Ceilândia), Markão Aborígine (Grupo Aborígine, Coletivo ArtSam, Recid/DF). Participação do Público.

11h às 19h – Feira de Gastronomia.

14h – Apresentação Menino de Ceilândia.

14h30 – Debate IV Lei de Mestres. Mediação: Lara Amorim. Palestrantes: Valéria Oliveira (Invenção Brasileira/Assessoria Dep. Edson Santos) e Fred, da Comissão de Cultura – a confirmar. Participação do Público.

16h – Semente Cia. de Teatro (Gama).

17h – Grupo Dança de Roda (Brazlândia).

18h – Boi do Seu Teodoro (Sobradinho).

Os grupos serão assistidos e acompanhados durante o evento, sobretudo durante as apresentações, por profissionais de reconhecida experiência e receberão assessoria sobre Técnicas de Sonorização (Cacai Nunes) – Oficina de Sonorização.

Data:

07.06.14 a 08.06.14

Local:

Casa do cantador (QNN 32, área especial, Ceilândia Sul).

 

 

Informações: Maria Alice Monteiro

Pesquisa vai mapear iniciativas em comunidades indígenas e quilombolas

produto_5374d2a985de68580267423d38332d842239c008bd428a34f19d69O Ministério das Comunicações vai mapear iniciativas de inclusão digital em comunidades indígenas e quilombolas de todo o país. O objetivo é reforçar e expandir as políticas públicas que atendem a essas populações. O levantamento dos dados vai ser feito por dois consultores contratados pelo Prodoc, programa de cooperação do MiniCom com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

O mapeamento consiste na visita a comunidades indígenas e quilombolas atendidas por programas de inclusão digital, na avaliação do impacto dessas iniciativas e no uso de dados sobre as ações de inclusão implementadas pelo Governo Federal.

O diretor de Articulação e Formação da Secretaria de Inclusão Digital do MiniCom, Cristiano Passos, explica que programas como o Gesac e os telecentros já atendem a algumas dessas comunidades e que as informações coletadas vão ajudar no aperfeiçoamento dessas ações.

“O que a gente espera é um estudo analítico das políticas já existentes, apontando os limites e as possibilidades de expansão, o mapeamento dos conteúdos específicos de formação de inclusão digital para essas duas comunidades e no final disso, uma proposta de aperfeiçoamento da política de inclusão digital para as comunidades indígena e quilombola”, afirma.

Passos lembra também que o edital de estudo das comunidades quilombolas conta com o apoio da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), vinculada à Presidência da República. O prazo para conclusão dos estudos varia de sete a oito meses a partir da contratação dos consultores

Prodoc

O projeto de cooperação técnica entre o Ministério das Comunicações e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) foi firmado em outubro de 2012 para a realização de estudos e pesquisas nas áreas de telecomunicações, radiodifusão, inclusão digital e conteúdos digitais criativos, que são as áreas de atuação do MiniCom.

A ideia é que todo esse material produzido, que engloba estudos, pesquisas e ferramentas de avaliação, contribua para o aperfeiçoamento das políticas públicas a cargo do Ministério das Comunicações.

 

 

Informações: Ministério das Comunicações

Foto: Reprodução

Município de Paratinga (BA) certifica os primeiros Quilombos no Diário Oficial

paratingaForam certificados os primeiros quilombos no município de Paratinga, no Estado da Bahia. O Quilombo Urbano do Bairro Tomba e as Comunidades rurais de Poção de Santo Antônio, foram certificadas na última terça-feira, 21/05/2014, pela Fundação Cultural Palmares, conforme publicado no Diário Oficial da União, Portaria N° 61, de 20 de maio de 2014. As duas comunidades são étno-raciais, segundo critérios de auto-atribuição, com trajetória própria, dotadas de relações territoriais específicas, com presunção de ancestralidade negra relacionada com a resistência à opressão histórica.

 

As comunidades quilombolas localizam-se em 24 estados da federação, sendo a Bahia um estado que figura com maior parte de comunidades quilombolas. Paratinga apesar de suas características e costumes, nunca foi vista pelo poder público, mas porém, aconteceu de uma forma voluntaria de Toge que chamou atenção da sociedade e conseguiu criar no Poção de Santo Antônio sua primeira Associação dos Remanescentes Quilombola Lagoa do Jacaré, que no dia (13/10/2013) consegui dar um passo importante para a sua certificação.

 

Além dos quilombos constituídos no período da escravidão, muitos foram formados após a abolição formal da escravatura, pois essa forma de organização comunitária continuaria a ser, para muitos, a única possibilidade de viver em liberdade.

 

De um modo geral, os territórios de comunidades remanescentes de quilombo originaram-se em diferentes situações, tais como doações de terras realizadas a partir da desagregação da lavoura de monoculturas, como a cana-de-açucar e o algodão, compra de terras, terras que foram conquistadas por meio da prestação de serviços, inclusive de guerra, bem como áreas ocupadas por negros que fugiam da escravidão. Há também as chamadas terras de preto, terra de santo ou terras de santíssima, que indicam uma territorialidade vinda de propriedades de ordens religiosas, da doação de terras para santos e do recebimento de terras em troca de serviços religiosos.

 

 

 

O município de Paratinga

 

 

 

 

 

Professores da educação de Vila Rica (MT) “invadem” Rádio para ouvir pronunciamento de gestores

professores

Dezenas de trabalhadores da rede municipal de ensino de Vila Rica, no Estado do Mato Grosso, “invadiram” as dependências da Rádio Comunitária Eldorado FM às 12h30min para ouvir pronunciamento da Secretária de Educação Guiomar Rita e do Procurador do Município Pierre Fabrício, em seguida a Presidente do Sispumvir e a Diretora Estadual da CUT, Lucimeire Lázara usaram os microfones da emissora para falar da paralisação.

O Procurador Pierre falou da medida liminar que a justiça concedeu no dia 5 de maio considerando a greve ilegal. Segundo ele a Prefeitura concedeu o piso nacional aos professores e já contratou uma equipe de profissionais para elaborar o plano de cargos e carreiras.

A Secretária Guiomar disse que encaminhou ontem, 20, uma convocação aos grevistas pedindo retorno imediato ao trabalho porque depois da liminar existem os trâmites legais para serem acompanhados.

Logo em seguida a Diretora da CUT agradeceu a admiração que o Procurador tem pela classe, mas mencionou que os trabalhadores precisam também de valorização, “o piso hoje é de 1.697 reais e o município de Vila Rica paga 1.272 reais” e continuou dizendo que os profissionais da educação estão clamando e conclamando ao Prefeito que faça uma negociação.

A Presidente Marizete disse que recebeu, minutos antes, um documento que será analisado às 14 horas e às 16 horas levará para Assembléia Geral. Marizete disse que os vereadores, principalmente os cinco da base do Prefeito precisam de ação, falam que estão apoiando o movimento, mas precisa atitude.

O profissionais da educação de Vila Rica completam nesta quarta-feira (21), 65 dias em greve com as seguintes reivindicações:

1º – O reajuste do FUNDEB.

2º – Elevação de nível do pro funcionário e pro infantil.

3º – Aprovação com urgência do plano de cargos, carreira e salário.

4º – O piso salarial nacional que é garantido pela lei 11.738/2008.

5º – Aplicação integral dos 30% das receitas de impostas e transferências constitucionais.

 

Foto: Danilo Trindade

Informações: Rádio Comunitária El Dourado FM

Governo divulga escolas que receberão ingressos para Copa

pintando_a_copaA lista das 901 escolas públicas contempladas no sorteio de 48 mil ingressos para a Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014 já está disponível para consulta. A tabela mostra a quantidade de ingressos que cada instituição de ensino vai receber e os jogos correspondentes. O sorteio foi realizado pela Caixa Econômica Federal no dia 3 de maio, a partir de combinações de números geradas pelo resultado da extração da Loteria Federal.

As escolas estão localizadas nas cidades sedes do torneio e fazem parte do programa Mais Educação. Para cada jogo, as instituições receberão ingressos para serem distribuídos aos alunos e para uma pessoa responsável. Os diretores das unidades de ensino deverão aderir por meio do Sistema Integrado de Monitoramento, Execução e Controle (Simec) do Ministério da Educação, e informar o nome e documentos das pessoas que ficarão responsáveis pelo processo.

Esses responsáveis farão a retirada dos ingressos nos centros de distribuição da Fifa e preencherão no próprio Simec os nomes e lugares dos alunos e seus responsáveis. A lista com o nome de todos os alunos sorteados, com os respectivos jogos, será divulgada publicamente antes do início da Copa do Mundo.

Assessoria de Comunicação Social

Confira a lista das 901 escolas do Mais Educação sorteadas e respectivos jogos

Confira o regulamento do sorteio

Informações: Ministério da Educação

Sociedade civil tem papel de destaque na TEIA da Diversidade

TEIA lilás

Entre os dias 19 e 24 de maio, a sociedade civil será a grande protagonista da TEIA Nacional da Diversidade 2014, realizada na cidade de Natal(RN). A expectativa é que, durante os seis dias de encontro, a TEIA seja um espaço não só de apresentação da diversidade cultural do Brasil, mas principalmente de participação dos movimentos culturais e renovação de políticas públicas que se adequem às necessidades dos Pontos de Cultura no país.

O IV Fórum Nacional dos Pontos de Cultura (FNPC) será um dos grandes momentos da TEIA, no qual as delegações de Pontos, Pontões e Pontinhos de Cultura, eleitos em seus Fóruns Estaduais, em todos os Estados da União e no Distrito Federal, vão eleger uma nova Comissão Nacional dos Pontos de Cultura (CNPdC). Durante o Fórum, também serão definidas as prioridades e diretrizes para atuação dos Pontos de Cultura nos próximos dois anos.

Para o membro da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura, Lula Dantas, uma das principais questões a serem discutidas no encontro será o redimensionamento das políticas públicas para o segmento: “A política para os Pontos de Cultura deve ser ampliada, renovada, monitorada, avaliada e se adequar às necessidades da sociedade civil”. Lula Dantas destaca ainda um outro desafio para a garantia de uma participação mais efetiva da sociedade civil no Programa Cultura Viva. “É importante investir na formação do movimento em política social, ter uma tecnologia compartilhada em que todos tenham acesso, para termos realmente uma cultura de rede no Brasil”, diz Dantas.

Para o diretor da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura (SCDC/MinC), Pedro Vasconcellos, um dos grandes  objetivos do encontro será definir mecanismos mais adequados para atender  as necessidades dos Pontos de Cultura: “O nosso principal entrave é o jurídico. Portanto, as propostas levantadas nos Fóruns irão apontar para a construção dos Marcos Legais do Programa Cultura Viva“. Segundo Vasconcellos, por meio do grupo de trabalho que foi instituído por Lei será elaborado um conjunto de propostas para uma nova legislação para a categoria, que deve ser apresentado ao Congresso Nacional e à Comissão de Cultura na Câmara.

Um dos representantes da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura no Rio Grande do Sul, Leandro Artur Anton, também ressalta as suas expectativas para a TEIA da Diversidade: “É um momento que representa os 10 anos do Programa Cultura Viva, que mudou a cara cultural no país.

A sociedade civil espera que a TEIA da Diversidade seja a afirmação e a consolidação doPrograma Cultura Viva, como uma política de estado”, diz Anton. De acordo com Anton, no final do encontro a sociedade civil pretende entregar uma carta, denominada Carta de Natal, para a Ministra da Cultura Marta Suplicy, gestores públicos e para representantes do poder legislativo federal. O documento vai conter as reivindicações e afirmações de experiências de vida ao longo dos 10 anos do Programa Cultura Viva, bem como as diretrizes que devem estruturar o Programa nas dimensões da cidadania e da diversidade.

A TEIA da Diversidade terá ainda diversos espaços de debates da sociedade civil, tais como os Fóruns relacionados à Cultura Afro-Brasileiras, Povos Ciganos, Povos Indígenas, e Infância e Acessibilidade, entre outros. Esses Fóruns e outras atividades deverão estruturar propostas para o último dia do encontro (24/05) e serão apresentadas no Fórum da Cidadania e da Diversidade, que reunirá todos os públicos da TEIA.

A TEIA Nacional da Diversidade 2014 é promovida pela Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura (SCDC/MinC) e pela Comissão Nacional de Pontos de Cultura (CNPdC).

 

Programação completa, notícias e mais informações no site: www.culturadigital.br/teiadadiversidade

 

#TEIAdaDiversidade

 

De 19 a 24 de maio de 2014

 

Natal – Rio Grande do Norte (RN)

 

Onde acontece

 

– Campus da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

 

– Campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio

 

Grande do Norte (IFRN)

 

– Praça Largo da Ribeira e o Teatro Alberto Maranhão

 

Canais de comunicação

 

Facebook www.facebook.com/teianacional

 

Twitter www.twitter.com/teianacional

 

YouTube www.youtube.com/teianacional

 

Instagram www.instagram.com/teianacional

 

Souncloud www.soundcloud.com/teianacional

 

E redes livres disponíveis

 

em http://culturadigital.br/teiadadiversidade/cobertura-colaborativa/

 

Atendimento à imprensa

 

Informações: Patrícia Saldanha

 

Foto: Reprodução

 

 

 

Seminário da CONTAG debaterá o assalariamento rural no Brasil

2033383152Informalidade e Trabalho Escravo, impacto do uso indiscriminado de agrotóxicos e do trabalho exaustivo na saúde dos trabalhadores(as) assalariados(as), normas de segurança no campo e outros assuntos acerca do trabalho dos assalariados(as) brasileiros serão discutidos no Seminário Nacional sobre Assalariamento Rural no Brasil, evento que começou hoje, na sede da CONTAG (Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura), em Brasília. 

O Seminário traz professores universitários, médicos, auditores de trabalho e representantes de organizações que trabalham com a categoria para apresentarem pesquisas sobre o cenário atual dos assalariados(as) em painéis temáticos. Participam também os secretários e secretárias de Assalariados(as) Rurais das Federações filiadas à CONTAG, que a partir desses painéis, desenvolverão trabalhos de grupo e sistematizações para, ao final, definirem eixos estratégicos de trabalho.

As entidades participantes são: o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), a Coordenadoria Nacional de Erradicação do Trabalho Escravo (Conaete), a Comissão Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo (Conatrae), o Conselho Nacional de Saúde (CNS), e, em âmbito internacional, a UITA e a OXFAM

Abertura
A abertura da atividade aconteceu hoje, dia 13, pela manhã no Auditório 1 da CONTAG, e contou com a presença do presidente da CONTAG, Alberto Broch, do vice-presidente e secretário de Relações Internacionais, William Clementino, do secretários de Finanças e Administração, Aristides Santos, e a secretária de Jovens Rurais, Mazé Morais. Representando a Rel-UITA esteve Carlos Amorín. 

O secretário de Assalariados(as) Rurais da CONTAG, Elias D’Ângelo, é quem coordena o evento, junto a assessoria da Secretaria. Segundo ele, o seminário é voltado para diagnóstico e compreensão  da conjuntura dos assalariado(as). “Um diagnóstico aprofundado assim, como o que queremos construir, nos ajudará a enfrentar melhor os problemas. Ao final desses três dias poderemos dar nossa visão do que compreendemos deste processo”, explica Elias.

Na abertura, o presidente Alberto destacou a importância dessa categoria para a produção alimentícia de todo o país. “Os assalariados e assalariadas tem uma importância econômica, social e política enorme no Brasil. O agronegócio se vangloria muito, sempre dizendo ser o maior exportador de certos alimentos, mas eles não falam de quem realmente produz, que são os assalariados”, lembra Alberto.

O Seminário Nacional sobre Assalariamento Rural no Brasil acontece de hoje a quinta-feira, dia 15, no Auditório 1 da CONTAG.

 

 

Informações: Imprensa CONTAG – Gabriela Avila

Foto: César Ramos

MEC autoriza 420 vagas de medicina em universidades federais no interior do país

universidadesO Ministério da Educação autorizou a abertura de 420 vagas para oito novos cursos de medicina em universidades federais. As vagas são para campi das universidades localizados em cidades do interior de seis estados das regiões Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste. A autorização está em portaria publicada na edição de hoje (13) do Diário Oficial da União.

Os estados contemplados são Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rio Grande do Norte e Bahia. A autorização de vagas faz parte da Política Nacional de Expansão das Escolas Médicas das Instituições Federais de Educação Superior, no âmbito do Programa Mais Médicos. O programa prevê a criação de 11.447 vagas em faculdades de medicina até 2017 com foco na melhor distribuição da oferta de profissionais no país, e nas regiões onde há necessidade de ampliar a formação de médicos.

O maior número de vagas, 80, foi autorizado para o bacharelado em medicina na Universidade Federal do Sul da Bahia, no campi de Teixeira de Freitas (BA). Serão abertas 60 vagas em cada uma das seguintes instituições: Universidade Federal de Goiás (UFG), em Jataí (GO); Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, em Teófilo Otoni (MG); e Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, em Três Lagoas (MS).

Três instituições foram autorizadas a abrir cursos com 40 vagas em unidades do interior: Fundação Universidade Federal do Vale do São Francisco, Paulo Afonso (BA); Universidade Federal do Piauí, em Parnaíba; Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em Caicó e Universidade Federal do Oeste da Bahia, em Barreiras.

Em dezembro de 2013 o Ministério da Educação havia autorizado a abertura de 560 vagas em cursos de medicina de universidades federais das regiões Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste.

 

Informações: Agência Brasil

Foto: Reprodução

20ª edição do Grito da Terra Brasil contará com mobilizações em todo o Brasil

NOT-18-grito-da-terra-acontece-hoje-em-brasilia-e-reune-250-trabalhadores-rurais-do-piaui1338376099Em 2014, Ano Internacional da Agricultura Familiar, o Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais se lança ao desafio de realizar o maior Grito da Terra Brasil dos últimos 20 anos. Os temas em destaque desse ano são a Reforma Agrária e a Organização Sindical. “Podemos adiantar que o peso das mobilizações em todo o País se dará, principalmente, a partir das negociações sobre esses temas. Tenho certeza que este será um grande Grito da Terra Brasil”, afirmou o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (CONTAG), Alberto Broch.

 

A abertura do GTB ocorrerá em 12 de maio, na sede da CONTAG, em Brasília, com a presença da Comissão Nacional de Negociação – composta por cerca de 200 representantes das 27 FETAGs. As negociações com o governo acontecerão de 13 a 19 de maio, envolvendo 19 ministérios, o Congresso Nacional e diversos órgãos governamentais e autarquias.

 

Já os atos serão realizados de forma descentralizada em todo o País – regionais, estaduais e municipais, concentrando esforços na Semana Nacional de Mobilização – 19 a 22 de maio, semana que Dilma Rousseff se comprometeu a dar uma resposta à pauta de reivindicações. No entanto, 20 de maio foi escolhido como o Dia Dpara a grande mobilização e pressão junto ao governo.

 

PAUTA DO 20º GTB

 

A pauta de reivindicações conta com 23 pontos centrais, que tratam da reforma agrária, fortalecimento da agricultura familiar, meio ambiente, juventude e sucessão rural, assalariamento rural, Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Planapo), políticas sociais, relações internacionais, e organização e enquadramento sindical. Ao todo, são mais de 300 reivindicações, entre elas: assentamento de 150 mil famílias; e um montante de R$ 51,4 bilhões para o desenvolvimento sustentável da agricultura familiar, sendo R$ 30 bilhões para crédito de investimento e custeio do Pronaf e R$ 21,4 para as demais políticas e programas.

 

Clique no link em seguida para acessar as pautas de reivindicações – para o governo federal e para o Congresso Nacional:

http://www.contag.org.br/index.php?modulo=portal&acao=interna&codpag=429&ap=1&nw=1

 

MAIS INFORMAÇÕES:

Assessoria de Comunicação da CONTAG – Verônica Tozzi

(61) 2102-2288 / 8301-4627 / 9115-4444

 

Foto: Reprodução