Endereço: CRS 505, Bloco A Entrada 11 Sala 105 - CEP: 70.350-510 - Asa Sul - Brasília/DF | Fone: (61) 3256-0803 | 3256-0802 | 9 9558-5735

Auxílio emergencial de R$ 600: prazo para se cadastrar termina no dia 2 de julho

O governo já está pagando a terceira parcela do auxílio emergencial para os beneficiários do Bolsa Família que foram aprovados no primeiro lote de inscritos.

Entretanto, se você ainda não se cadastrou para receber o benefício de R$ 600, ainda dá tempo, mas só restam alguns dias até que as inscrições se encerrem.

Qual é a data limite para solicitar o auxílio emergencial?

Os trabalhadores que ainda não solicitaram o auxílio emergencial, têm até o dia 2 de julho para se cadastrar pelo aplicativo ou site da Caixa e receber o benefício, conforme informou o Ministério da Cidadania.

Mesmo aqueles que só se inscreverem até a data limite da solicitação do auxílio e forem aprovados nesse último lote, vão receber as três parcelas de R$ 600 ou R$ 1.200, no caso de mulheres chefes de família.

Para os trabalhadores que já estavam inscritos no Cadastro Único até o dia 2 de abril, o direito ao auxílio já foi verificado automaticamente. Já para quem se cadastrou depois dessa data, deve solicitar o auxílio emergencial por meio do app ou site da Caixa e também têm até o dia 2 de julho para fazer a inscrição.

Segundo o Ministério, os novos beneficiários do Bolsa Família também serão contemplados com o auxílio emergencial até a folha de pagamentos de julho, desde que o auxílio seja mais vantajoso para a família.

FONTE: VIX

Plano Safra 2020/21 disponibiliza R$ 236 bilhões e reduz taxa e juros em todas as linhas

Lançado pelo Governo Federal na quarta-feira (17), o Plano Safra 2020/2021 atende a demandas do agronegócio, com redução da taxa de juros e ampliação dos recursos disponibilizados, somando R$ 236,3 bilhões. Condições que contribuem para que o agronegócio continue crescendo, segundo o secretário Jaime Verruck, titular da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

A principal notícia do aguardado Plano Safra, é a expansão em 6% dos recursos, que ganhou incremento de R$ 13,5 bilhões, saindo dos R$ 222,74 bilhões em 2019/20. São 5,7% a mais no Pronaf que passa a ter R$ 33 bilhões e aumento de 25% nos recursos do Pronamp, atualmente com R$ 33,20 bilhões. Demais produtores e cooperativas terão R$ 170 bilhões.

“Nós, secretário de agricultura e pecuária o país, tivemos uma reunião importante com a ministra Tereza Cristina sobre a necessidade de redução da taxa de juros e recebemos boas notícias com o Plano Safra, que é aguardado todo ano porque sinaliza para o sistema de crédito do agronegócio brasileiro como será a próxima safra”, explica o secretário Jaime Verruck.

Dessa forma, houve queda na taxa de juros de todos os segmentos. Nas linhas de custeio, o Pronaf caiu de 3% e 4,6% para 2,75% e 4% ao ano. No Pronamp o juros caiu de 6% para 5% e para os demais produtores a taxa que era e 8% ao ano, agora é de 6% ao ano. Nas linhas de investimento também houve queda na taxa de juros.

De acordo com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, o Plano Safra continua focado nos pequenos e médios produtores. “Semear, plantar, cuidar, esperar florescer e enfim colher os frutos da terra é e sempre será algo essencial e belo. Uma atividade totalmente ligada à natureza só pode ter como caminho a busca da sustentabilidade”.

Para o titular da Semagro, o Plano Safra traz excelentes notícias para Mato Grosso do Sul que tem expectativa de ampliação de área de 200 a 300 mil hectares na safra de soja 2020/21. “O agronegócio manteve a atividade econômica neste momento de crise e o Plano vai contribuir para que o setor contribua ativamente na retomada da economia, crescimento do PIB e safra recorde”, afirma Verruck.

O Plano Safra 2020/2021 está disponível para contratação a partir de 1º de julho de 2020.

Detalhamento

Sustentabilidade da agricultura. O Programa para Redução de Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura (Programa ABC), que é a principal linha para financiamento de técnicas sustentáveis, terá R$ 2,5 bilhões em recursos com taxa de juros de 6% ao ano, uma ampliação de R$ 400 milhões.

Na safra 2020-2021, os produtores terão acesso à linha ABC Ambiental, com recursos para restauração florestal, voltada para contribuir com a adequação das propriedades rurais ao Código Florestal. A taxa de juros é de 4,5% ao ano. “Mato Grosso do Sul foi um dos primeiros a emitir os certificados de cota de reserva legal e agora a linha permite o financiamento, o que é um avanço em termos ambientais muito importante”, destaca Jaime Verruck.

O Plano Safra avanço no Projeto Inova Agro, que intensifica o uso da inovação e tecnologia na produção. Os pecuaristas poderão financiar a aquisição de equipamentos e serviços de pecuária de precisão. Também há incentivos à adoção de tecnologias relacionadas aos bioinsumos dentro das propriedades rurais e pelas cooperativas. Os produtores podem acessar pelas modalidades de custeio, para aquisição de bioinsumos, ou investimento, na montagem de biofábricas dentro das propriedades (onfarm). Outra novidade é o Pronaf-Bio, voltado para apoiar as cadeias produtivas da bioeconomia.

Outro setor beneficiado será o da pesca comercial, que terá apoio para acessar o crédito rural. Desta forma, a atividade poderá financiar a compra de equipamentos e infraestrutura para processamento, armazenamento e transporte de pescado.

Para o setor sucroenergético houve o lançamento de uma linha de financiamento de estoques de açúcar e etanol para as empresas, importante para manter os empregos no momento de baixa demanda.

A subvenção ao Prêmio do Seguro Rural teve um acréscimo de 30% no valor, chegando a R$ 1,3 bilhão, o maior montante desde a criação do seguro rural. O valor deve possibilitar a contratação de 298 mil apólices, num montante segurado da ordem de R$ 52 bilhões e cobertura de 21 milhões de hectares.

Para incentivar a construção de armazéns nas propriedades, serão destinados R$ 2,2 bilhões. Para o financiamento de armazéns com capacidade de até 6 mil toneladas nas propriedades, a taxa de juros é de 5% ao ano.

FONTE: Priscilla Peres – Comunicação Semagro

Greve dos entregadores de aplicativos: veja o que eles reivindicam

Greve dos entregadores de aplicativos ocorrerá no dia 1º de julho; saiba o que eles reivindicam

Desde o início da pandemia, diversos tipos de trabalho que eram pouco valorizados provaram sua real necessidade. Entre ele – e com destaque – está o de entregador de aplicativos. Enquanto quem podia ficava em casa, trabalhadores jovens de classe baixa continuavam cruzando as cidades, com bicicletas e motocicletas, atrás do seu sustento em meio às incertezas geradas pelo coronavírus.

Contudo, o trabalho executado pelos entregadores de aplicativos tem diversos problemas. Sobretudo por conta das jornadas extenuantes, que excedem as oito horas indicadas pela CLT. Somado a isso está a remuneração, que corresponde a menos de um salário mínimo, além da falta de acesso aos direitos básicos. E há ainda muitas outras violações que fazem parte da rotina deles.

Mesmo sem um sindicato ou associação que os represente, os entregadores de aplicativos conseguiram se articular para reivindicar seus direitos. Para tanto, eles preparam uma paralisação, que vem sendo chamada de ‘breque’, e também uma greve, marcada para o dia 1º de julho.

Na pauta, as diversas reivindicações básicas que todos os trabalhadores deveriam ter acesso, como recomenda a CLT. Entre elas, o fornecimento de equipamentos de proteção individual – os chamados EPIs; alimentação durante a jornada de trabalho e licença remunerada em caso de adoecimento.

Além disso, os entregadores também lutam por mudanças na política dos aplicativos, tais como: o fim do sistema de pontuação e o fim dos bloqueios e suspensões injustos.

LBS Advogados elaborou um infográfico com as principais reivindicações desses trabalhadores. Assim como aponta a advogada trabalhista Luara Borges: “Aos consumidores que quiserem apoiar a paralisação, a recomendação dada pelos entregadores é de que não se utilizem das plataformas como meio de pedir suas refeições no dia 1º de julho”.

FONTE: Reconta aí

Receita abre consulta a segundo lote de restituição de IR

O pagamento será dia 30 de junho

A Receita Federal abriu hoje (23), às 9h, consulta ao segundo lote de restituição do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) de 2020. Mais de 3,3 milhões de contribuintes receberão R$ 5,7 bilhões no lote de maior valor já registrado. O pagamento será dia 30 de junho.

Desse valor total, R$ 3,977 bilhões são para contribuintes com direito a prioridade no recebimento: 54.047 contribuintes acima de 80 anos; 1.186.406 contribuintes entre 60 e 79 anos; 89.068 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou doença grave; e 937.234 contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério. Foram contemplados ainda mais de 1 milhão de contribuintes não prioritários que entregaram a declaração até o dia 4 de março.

O pagamento será realizado no dia 30 de junho, data de encerramento do período de entrega das Declarações do Imposto de Renda das Pessoas Físicas/2020. Neste ano, os lotes foram reduzidos de sete para cinco com pagamento iniciando antes mesmo do fim do prazo de entrega. O primeiro lote foi pago em 29 de maio.

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita Federalna Internet. Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento. Nesta hipótese, o contribuinte pode avaliar as inconsistências e fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora.

A Receita disponibiliza, ainda, aplicativo para tablets smartphones que facilita consulta às declarações do IRPF e situação cadastral no CPF. Com ele será possível consultar diretamente nas bases da Receita Federal informações sobre liberação das restituições do IRPF e a situação cadastral de uma inscrição no CPF.

A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá fazer requerimento por meio da Internet, mediante o Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contatar pessoalmente qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

Volume de declarações

Até as 11h de ontem (22) 21.624.160 declarações do IRPF/2020 foram recebidas pelos sistemas da Receita Federal. Para esse ano são esperados 32 milhões de documentos.

A Receita alerta para que os contribuintes não deixem a entrega para última hora. Se perderem o prazo, estarão sujeitos ao pagamento de uma multa mínima de R$ 165,74 e máxima de 20% do imposto devido.

Matéria alterada às 15h40 para corrigir informação. O lote inclui mais de 3,3 milhões de contribuintes, e não 3,3 mil, como havia sido informado.

FONTE: Agência Brasil

TSE lança consulta pública sobre impacto da covid-19 nas eleições

Contribuições poderão ser enviadas até o dia 30 ao site do tribunal

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) abriu hoje (19) uma consulta pública sobre os impactos da pandemia de covid-19 nas eleições municipais deste ano. Entidades da sociedade civil, órgãos públicos, associações e quaisquer grupos interessados poderão enviar contribuições por meio do site do tribunal até o dia 30 deste mês. 

Ao preencher o formulário eletrônico, o interessado deverá fazer um resumo histórico sobre a entidade que representa e anexar a manifestação por escrito, que poderá tratar sobre a convocação de mesários, realização das convenções partidárias, propaganda eleitoral, organização dos locais de votação, prestação de contas dos candidatos e diplomação dos eleitos.

As sugestões serão analisadas por comitê um formado por diversas áreas do TSE, que vai elaborar um relatório final até 15 de julho. 

Inicialmente, as eleições municipais estavam previstas para outubro. No entanto, o Congresso Nacional discute a mudança por causa do avanço da pandemia do novo coronavírus no país. O adiamento é discutido com a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 18/2020, de autoria do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

FONTE: Agêcia Brasil

Agências do INSS serão reabertas a partir de 13 de julho

Retorno será gradual e irá considerar as especificidades de cada unidade da Previdência Social no país

A Secretaria de Especial de Previdência e Trabalho (Seprt) e o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) anunciaram o retorno gradativo do atendimento presencial nas Agências da Previdência Social, a partir do dia 13 de julho. O atendimento por meio de canais remotos continuará sendo realizado mesmo após a reabertura das agências. O comunicado foi feito durante reunião do Conselho Nacional de Previdência na manhã desta sexta-feira (19).

“Nossa preocupação primária é com a saúde, dessa forma, o retorno das atividades presenciais seguirá todas as medidas de segurança sanitária recomendadas pelo Ministério da Saúde”, informou o secretário Especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco.

Em um primeiro momento, o tempo de funcionamento das agências será parcial, com seis horas contínuas, e o atendimento será exclusivo aos segurados e beneficiários com prévio agendamento pelos canais remotos (Meu INSS e Central 135). Também serão retomados os serviços que não possam ser realizados por meio dos canais de atendimento remotos como, por exemplo, realização de perícias médicas, avaliação social e reabilitação profissional.

O atendimento gradual e seguro irá considerar as especificidades de cada uma das 1.525 agências da Previdência Social em todo o Brasil. Cada unidade deverá avaliar o perfil do quadro de servidores e contratados, o volume de atendimentos realizados, a organização do espaço físico, as medidas de limpeza e os equipamentos de proteção individual e coletiva.

De acordo com estudos feitos pelo INSS, atualmente, 753 agências estão aptas a voltar a funcionar, o que representa 70% da capacidade de atendimento do instituto. As unidades que não reunirem as condições necessárias para atender o cidadão de forma segura, continuarão em regime de plantão reduzido. “Todos os critérios devem ser atendidos, se faltar um pequeno detalhe, a agência não poderá ser reaberta”, enfatizou o presidente do INSS, Leonardo Rolim. Ele explicou ainda que esse número é dinâmico e que, no dia 13 de julho, mais agências poderão ter cumprido os requisitos necessários.

O instituto irá disponibilizar um painel eletrônico contendo informações sobre o funcionamento das Agências da Previdência Social, os serviços oferecidos e o horário de funcionamento.

O secretário de Previdência, Narlon Gutierre Nogueira, anunciou que “será proposta a edição de um decreto do Poder Executivo que irá autorizar a prorrogação das antecipações do auxílio-doença, cujo prazo inicial se encerra no início do mês de julho”. Dessa forma, todas as medidas tomadas para garantir o direito dos cidadãos durante a pandemia da codid-19, incluindo a simplificação dos procedimentos, a dispensa de exigências e a oferta de serviços por meio de canais remotos, continuarão valendo mesmo após a retomada do atendimento presencial.

FONTE: ASCOM/Ministério da Economia

Petrobras eleva diesel em 8% na refinaria; gasolina sobe 5%

A Petrobras PETR4.SA anunciou reajuste médio de 8% para o diesel vendido em suas refinarias a partir da sexta-feira, enquanto a gasolina terá elevação de 5%, informou a companhia nesta quinta-feira, por meio da assessoria de imprensa.

O movimento é o primeiro reajuste neste mês para o diesel, combustível mais utilizado do Brasil, e o segundo para a gasolina, que havia sofrido aumento de 10% em 9 de junho.

Com a elevação, o preço médio do diesel nas refinarias da estatal passa a ser de 1,5111 real por litro, maior nível desde meados de abril, segundo dados compilados pela Reuters, enquanto o valor médio da gasolina passa a 1,5328 real/litro, mais alto nível desde o final de fevereiro.

Mesmo com segundo reajuste consecutivo para cima, o preço do diesel ainda acumula queda de 35,5% neste ano, impactado pelo choque de demanda resultante da pandemia de coronavírus. No entanto, tem avanço de 15,5% frente às mínimas do ano, verificadas entre o final de abril e meados de março.

Já a gasolina, que teve o sexto movimento seguido de alta, acumula recuo de 20% em 2020, embora tenha se afastado das mínimas do ano, registradas na reta final de abril e no início de maio, quando o combustível chegou a custar 0,916 real/litro.

As sucessivas elevações ocorrem em meio a uma recuperação nas cotações do petróleo no mercado internacional a partir de abril, após acordo entre Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados para cortes recordes de oferta.

O petróleo Brent, referência internacional, acumula ganhos de mais de 100% desde meados de abril, quando tocou mínima de 21 anos, abaixo de 16 dólares por barril.

A Petrobras defende que sua política de preços busca seguir valores de paridade de importação, que levam em conta o petróleo no mercado internacional e custos de importadores, como transporte e taxas portuárias, com impacto também do câmbio.

O dólar acumula valorização de mais de 10% contra o real desde 8 de junho, quando havia recuado para mínimas em 12 semanas.

O repasse de reajustes nas refinarias até os consumidores finais, no entanto, não é imediato e depende de uma série de questões, como margem da distribuição e revenda, impostos e adição obrigatória de biodiesel.

Defasagem

Para o presidente da Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), Sergio Araujo, apesar dos reajustes que deverão começar a vigorar na sexta-feira, continua a defasagem dos preços da Petrobras na comparação com os valores externos: em 11 centavos de real por litro para o diesel e de 0,13 real por litro para a gasolina.

Na opinião dele, isso inviabiliza importações de derivados, uma vez que o petróleo Brent está sendo negociado acima de 41 dólares o barril e o dólar está no patamar de 5,35 reais.

A Petrobras informou no final da semana passada à Reuters que as refinarias da empresa, que responde por quase 100% do refino de petróleo nacional, tiveram recuperação na taxa de utilização de capacidade, com uma melhora no mercado de combustíveis no Brasil, uma queda na importação de derivados e exportações recordes de óleo combustível.

A taxa de utilização das refinarias no país atingiu cerca de 74%, bem próximo aos 77% verificados no período anterior ao início da pandemia de coronavírus, segundo os mais recentes dados do Ministério de Minas e Energia.

Mas, para o presidente da Abicom, “a demanda (de combustíveis) ainda não voltou ao normal” no país.

Nesse sentido, uma pesquisa divulgada pela NTC&Logística na terça-feira apontou que a demanda por transportes rodoviários de cargas no Brasil ainda apresenta queda de 36,8% em relação aos níveis pré-pandemia, apesar de indicar os melhores resultados desde o final de março.

FONTE: Economia UOL

Integrantes do Bolsa Família começam a receber terceira parcela do Auxílio Emergencial

Em maio, 14,28 milhões de famílias receberam o benefício, num investimento federal de R$ 15,2 bilhões. Calendário para outros públicos do Auxílio será divulgado em breve

Os integrantes do Bolsa Família começam a receber nesta quarta-feira (17.06) a terceira parcela do Auxílio Emergencial do Governo Federal. Os repasses de R$ 600 a R$ 1.200 obedecem ao calendário habitual do programa, que segue até 30 de junho. Os primeiros a receber são os beneficiários com NIS final 1.

A iniciativa é parte das ações do Governo Federal para reduzir os impactos socioeconômicos causados pela pandemia do Covid-19. Em maio, 14,28 milhões de famílias receberam o Bolsa Família, num investimento federal de R$ 15,2 bilhões. Esse número representa o segundo maior em famílias contempladas na história do programa. As outras duas marcas mais expressivas também foram registradas na atual gestão do Governo Federal. O recorde é de maio de 2019, com 14,33 milhões de famílias atendidas. A segunda maior marca foi obtida em abril de 2020, com 14,27 milhões de famílias.

O calendário de pagamento para os demais cidadãos com direito ao Auxílio Emergencial será divulgado em breve, como anunciou o ministro da Cidadania na reunião do Conselho de Governo na semana passada. “Vamos programar ao longo dos próximos dias o pagamento da terceira parcela”, disse Onyx Lorenzoni. A segunda parcela já foi paga a mais de 51 milhões de pessoas que entraram com o pedido para receber o benefício até 30 de abril.

Outros lotes de solicitações, feitos em maio, foram processados e os cidadãos começaram a receber a primeira parcela. Desses, um grupo de 4,9 milhões de novos beneficiados vai receber o Auxílio Emergencial ao longo desta semana. Serão mais R$ 3,2 bilhões em repasses.

Quem nasceu de janeiro a junho poderá movimentar digitalmente os valores pela Conta Social Digital da Caixa a partir desta terça-feira (16.06).  Os nascidos de julho a dezembro, a partir da quarta-feira (17.06). Essas pessoas poderão sacar o dinheiro a partir de 8 de julho, para aniversariantes em janeiro, e assim por diante até 18 de julho, para os de dezembro.

Processamentos

A Dataprev informou nesta segunda-feira que já recebeu mais de 124,18 milhões de solicitações para o Auxílio Emergencial e processou 98,6% deles. A empresa pública é a responsável pelo cruzamento das informações autodeclaradas dos requerentes via site ou aplicativo da Caixa com a base de dados federais.  Atualmente restam 1,6 milhão de cadastros em processamento, referentes ao período de 27 de maio e 11 de junho. Outros 34.043 pedidos de abril (0,03% do total) passam por processamento adicional no Ministério da Cidadania.

Do total de pedidos, 64,14 milhões foram considerados elegíveis e 16,69 milhões classificados como inconclusivos, quando faltam informações para o processamento integral do pedido. Os inelegíveis, que não têm direito ao benefício pelos critérios estabelecidos em lei, foram 41,59 milhões. 

São consultadas várias bases oficiais, resguardados os sigilos fiscais e bancários, de forma simultânea, para identificar se o requerente se enquadra nos critérios legais. O mecanismo de cruzamento de informações é atualizado e aperfeiçoado a cada novo processamento por meio da inclusão de novas informações.

Todo o procedimento está de acordo com o que determina a Lei nº 13.982, de 2 de abril de 2020, e com as regras definidas pelo Ministério da Cidadania, que ainda realiza a homologação dos resultados do processamento e define quais bases devem ser utilizadas pela Dataprev.

A pasta firmou diversos acordos com órgãos da Justiça, de fiscalização e controle para evitar fraudes, aperfeiçoar o sistema de processamento e homologação dos dados e recuperar benefícios pagos indevidamente.

Até a última sexta-feira (12.06), o Governo Federal havia recuperado R$ 29,65 milhões pagos a pessoas fora dos critérios para recebimento do benefício. Por meio do site devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br39.517 pessoas que não se enquadravam nos critérios da lei emitiram Guias de Recolhimento da União (GRU) para devolver valores. Desse total, 23.643 foram militares, que somaram R$ 15,2 milhões em devoluções.

FONTE: Diretoria de Comunicação – Ministério da Cidadania

Consed lança diretrizes para protocolos de retorno às aulas

O Conselho Nacional de Secretários de Educação – Consed, elaborou diretrizes nacionais para um protocolo de retorno às aulas presenciais. Esse trabalho foi feito pela Frente Protocolo de Retomada, que reúne técnicos das secretarias estaduais de Educação, sob a coordenação dos secretários Laura Souza (AL) e Cláudio Furtado (PB).

Baixe o documento

De acordo com a secretária de Educação do Mato Grosso do Sul e presidente do Consed, Cecilia Motta, o documento foi elaborado a partir da experiência de outros países que já retornaram às aulas e tomou por base, ainda, propostas de protocolos criadas por estados que já se adiantaram nesse quesito. “A discussão no conselho não foi sobre quando voltar, mas como voltar.”

Os secretários ainda não tem previsão de datas para o retorno, mas estão trabalhando com suas equipes nas estratégias sanitárias, financeiras e pedagógicas que serão colocadas em práticas a partir do momento em que as datas forem definidas.

O trabalho teve o apoio técnico do Sebrae Nacional.

FONTE: CONSED – Conselho Nacional de Secretários de Educação

Petrobras reajusta em 5% preço do gás de cozinha nas refinarias

A Petrobras informou que vai reajustar em 5% o preço médio do gás liquefeito de petróleo (GLP) vendido pelas refinarias da companhia às distribuidoras a partir desta quinta-feira (4). Com isso, o preço médio da Petrobras será equivalente a R$ 24,08 por botijão de 13 quilos (kg). No acumulado do ano, a redução é de 13,4%, ou R$ 3,72 por botijão de gás de cozinha de 13 kg. A Petrobras esclarece que igualou desde novembro de 2019, os preços do gás liquefeito de petróleo para os segmentos residencial e industrial/comercial e que o GLP é vendido pela Petrobras a granel. As distribuidoras são as responsáveis pelo envase em diferentes tipos de botijão e, junto com as revendas, são responsáveis pelos preços ao consumidor final.

FONTE: Economia UOL