Endereço: CRS 505, Bloco A Entrada 11 Sala 105 - CEP: 70.350-510 - Asa Sul - Brasília/DF | Fone: (61) 3256-0803 | 3256-0802 | 9 9558-5735

Inflação pesa mais sobre os mais pobres

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) realiza um levantamento todos os meses para avaliar o peso da inflação no País por faixa de renda. Conhecido como Indicador Ipea de Inflação, o levantamento calcula as variações de preços de bens e serviços disponibilizados pelo Serviço Nacional de Índices de Preços ao Consumidor (SNIPC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A inflação apresenta movimento ascendente desde janeiro de 2018 e, em março de 2019, registrou nova aceleração no ritmo de crescimento dos preços em todas as classes pesquisadas, especialmente para a classe de renda mais baixa.

Tabela 1.png

Segundo o Ipea, assim como vem ocorrendo ao longo dos últimos meses, a alta dos alimentos vem impactando de forma mais significativa as famílias mais pobres. Dos 16 itens alimentícios pesquisados, 14 apresentaram aumento de preço. As maiores altas foram registradas justamente nos itens de maior peso no consumo das famílias de menor renda, como cereais (5,2%), tubérculos (18,7%), hortaliças (6,1%) e frutas (4,3%). Em contrapartida, itens mais consumidos pelas famílias mais ricas, como leites e derivados (0,49%), carnes (0,63%) e bebidas (-0,15%), apresentaram comportamento mais favorável.

O levantamento mostrou, portanto, que o grupo alimentação foi o principal responsável pela inflação de 0,80% observada na classe mais baixa. Apesar da alta do preço de alguns itens alimentícios, esse valor não chega ao bolso dos agricultores e agricultoras familiares. Segundo informações da Secretaria de Política Agrícola da CONTAG, normalmente, a agricultura familiar brasileira não agrega valor a sua produção, vendendo, em sua maioria, os produtos in natura. Quem beneficia e revende os produtos (atravessadores e supermercados) é que se beneficia com o preço mais elevado. Alguns dos fatores para a alta do preço dos alimentos no início do ano são o excesso de chuvas e a inserção no mercado de produtos/alimentos importados.

Ainda que em menor escala, o Ipea aponta que a alta do grupo transportes, refletindo os reajustes nas tarifas de ônibus urbano (0,9%) e de trens (2,1%), também impactou a inflação deste segmento.

Tabela 2.png

FONTE: ASCOM/CONTAG

Agenda da Abraço Brasil e estaduais

ABRIL DE 2019

Dia 27 – Encontro de Rádios Comunitárias de São Paulo em Itu – SP.

Dias 27 e 28 – Encontro das Rádios Comunitárias, Populares e Web do Ceará em Fortaleza – CE.

MAIO DE 2019

Dias 18 e 19 – Encontro das Rádios Comunitárias da Região Sul da Bahia em Ilhéus – Ba.

Dia 19 – Encontro Regional das Rádios Comunitárias do Agreste Pernambucano em Caruaru – PE.

JUNHO DE 2019

Dias 6, 7 e 8 – Seminário Nacional da Abraço Brasil em João Pessoa – PB.

Dia 13, 14 e 15 – Encontro de Radialistas em Cuiabá – MT.

JULHO DE 2019

Dias 5 e 6 – Encontro da Rádios Comunitárias da Região do Semi-árido do Piauí em São Francisco de Assis do Piauí – PI.

Dias 12 e 13 – 4º FALACOM – Encontro das Rádios Comunitárias de Alagoas, na cidade histórica de Porto Calvo – AL.

Dia 27 – Encontro das Rádios Comunitárias da Região Metropolitana de São Paulo em São Bernardo do Campo – SP.

AGOSTO DE 2019

Dias 10 e 11 – Encontro das Rádios Comunitárias do Pará em Ananindeua – PA.