Endereço: CRS 505, Bloco A Entrada 11 Sala 105 - CEP: 70.350-510 - Asa Sul - Brasília/DF | Fone: (61) 3256-0803 | 3256-0802 | 9 9558-5735

Avaliação de impactos dos programas sociais é tema de curso oferecido pelo Ministério da Cidadania

Inscrições para capacitação a distância estão abertas até 20 de junho

O Ministério da Cidadania está com inscrições abertas para o curso Introdução à Avaliação de Impacto para Programas Sociais. Apesar de ser livre para toda a população, o público-alvo são gestores e técnicos. Os interessados devem acessar a área do Portal de Educação a Distância e se cadastrar. O prazo para se inscrever termina em 20 de junho.

O curso de 40 horas está dividido em três módulos – uso e produção de evidências no contexto dos programas sociais, noções introdutórias de avaliação de impacto e aspectos práticos do desenho de avaliações de impacto: amostragem e poder estatístico. A qualificação intercala o conteúdo teórico com exercícios e materiais audiovisuais.

De acordo com o secretário de Avaliação e Gestão da Informação do Ministério da Cidadania, Vinícius Botelho, o curso atende a uma demanda dos gestores estaduais sobre como fazer pesquisas de avaliação de impacto das políticas sociais. “Nossa missão institucional não é fazer somente avaliação, mas fomentar uma cultura de avaliação de políticas. Ela gera um banco de políticas baseadas em evidências. Uma política precisa transformar a vida das pessoas, efetivamente mudar alguma coisa na realidade local. E isso só se consegue aferir por meio do impacto”, explica.

A analista do Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (MG), Ana Paula Kern, já fez o curso e elenca os pontos positivos da capacitação. “Oferece uma base de conhecimento sobre as políticas públicas e existe a flexibilidade do horário. Há um fórum para esclarecer as dúvidas, a linguagem das aulas é acessível, o material é bem didático, o que facilita bastante o aprendizado. Acho que vale muito a pena fazer”, aponta.  A última edição do curso contou com mais de 1,3 mil participantes.

Plataforma – Cursos nas áreas de compras públicas da agricultura familiar, planejamento e orçamento governamental, controle social, além dos principais programas e ações do Ministério da Cidadania também estão disponíveis no Portal de Educação a Distância. O secretário Vinícius Botelho ressalta a importância de reunir os conteúdos na internet. “O objetivo do portal é apoiar a capacitação dos gestores de uma forma mais flexível. Eles conseguem escolher os cursos e quando o farão. A educação a distância tem uma comodidade, que permite às pessoas ajustarem ao seu horário de trabalho”, destaca.

O conteúdo da capacitação foi desenvolvido em parceria com a Escola Nacional de Administração Pública (Enap) e o Laboratório de Ação contra a Pobreza Abdul Latif Jameel – América Latina e Caribe (J-PAL LAC) e adaptado pela Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação (Sagi).

FONTE: ASCOM/Secretaria Especial do Desenvolvimento Social – Ministério da Cidadania

Secretaria Especial da Cultura oferece cursos gratuitos on-line sobre economia criativa

“Museus e patrimônio” e “Design criativo” são os dois dos seis cursos elaborados em parceria com a UFRGS e já disponíveis na plataforma da universidade

A Secretaria Especial da Cultura do Ministério da Cidadania, em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), oferece dois cursos on-line gratuitos – Museus e Patrimônio e Design Criativo, que podem ser acessados pela plataforma Lúmina. Com investimento federal de cerca de R$ 186,8 mil, a iniciativa visa apresentar pontos básicos sobre diferentes setores culturais e criativos no Brasil. No total, serão lançados seis cursos livres de capacitação. Aulas sobre Artes Cênicas, Mercado Editorial (cadeia produtiva do livro), Moda e Música estarão disponíveis na plataforma até o fim do ano.

“Os cursos on-line não formam especialistas, mas dão uma boa qualificação para pessoas interessadas em ingressar nesses setores criativos”, destaca o coordenador de Formação Técnica, Gestão e Produção da Secretaria Especial da Cultura, Jorge Edson Garcia. “Fizemos questão de usar uma linguagem acessível e incentivar os profissionais dessas áreas a se profissionalizarem cada vez mais”, completa.

Cada curso tem dois módulos, com um total de 20 horas de duração. Cada um deles está dividido em três eixos: Introdutório, Estruturante e Estratégico. Ao final de cada módulo, é necessário fazer uma avaliação também on-line para verificar o entendimento do conteúdo repassado.

É possível fazer mais de um curso ao mesmo tempo e não há prazo determinado para conclusão. Os interessados devem ter apenas acesso à internet, uma vez que precisarão carregar textos e vídeos que fazem parte do material de apoio.

A inscrição nesses cursos on-line não significa estar ligado a qualquer curso de graduação ou pós-graduação da UFRGS, tampouco usufruir de direitos de alunos regularmente matriculados na instituição. Professores da universidade devem ser contatados para saber se esses cursos darão direito a créditos complementares ou se fazem parte de atividades de ensino, pesquisa e/ou extensão.

O conteúdo dos cursos foi elaborado por empresas especializadas do setor, contratadas via edital pelo antigo Ministério da Cultura, hoje Secretaria Especial da Cultura. A formatação do conteúdo para o modelo de curso a distância foi realizada pela equipe técnica da UFRGS.

Jogos eletrônicos

Três cursos on-line sobre o mercado de jogos eletrônicos também estão disponíveis na mesma plataforma desde o ano passado. Com duração de 30 horas cada, os cursos trazem os seguintes temas: a) O setor de games no Brasil: panorama, carreiras e oportunidades; b) O setor de games no Brasil: dicas e desafios para empreendedores e c) Internacionalização no Setor de Games.

Esses cursos foram lançados em parceria com a Associação Brasileira dos Desenvolvedores de Jogos Digitais (Abragames) e a UFRGS, com investimento de cerca de R$ 96,8 mil. O conteúdo dos cursos é voltado à capacitação de futuros ou atuais profissionais do mercado de jogos eletrônicos e foi gerado a partir dos debates da edição de 2017 do Brazil’s Independent Game Festival (BIG Festival), o maior festival de jogos independentes da América Latina.

FONTE: ASCOM/Secretaria Especial da Cultura – Ministério da Cidadania