Endereço: CRS 505, Bloco A Entrada 11 Sala 105 - CEP: 70.350-510 - Asa Sul - Brasília/DF | Fone: (61) 3256-0803 | 3256-0802 | 9 9558-5735

O calorão, a conta de luz e o que você tem a ver com isso

Tá quente por aí? Por aqui está – e muito! Mesmo com a chuva, a previsão para os próximos dias é de máximas entre 27ºC e 38ºC em todo o país, segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).  Ou seja, não vai ter mesmo como fugir do calor.

Para amenizar as altas temperaturas, muitos brasileiros estão usando e abusando do ar condicionado e dos ventiladores. Mas isso acarreta em outro fenômeno: o aumento do consumo de energia!

Em janeiro, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) registrou o maior consumo nos últimos cinco anos.
Foram dois recordes consecutivos de carga registrados no Sistema Interligado Nacional (SIN), nos dias 15 e 16, ambos no meio da tarde. A carga máxima ultrapassou 87.000 megawatts (MW). O recorde anterior tinha sido registrado em fevereiro de 2014, com um pico de 85.708 MW.

Solução que vem do Sol

“Os picos de consumo deste ano ainda não afetaram o fornecimento de energia em nenhuma região do Brasil, mas esse tipo de fenômeno pode, a longo prazo, influenciar os valores da conta de luz”, explica Alessandra Mathyas, do WWF-Brasil.

Para se prevenir, muitos brasileiros estão em busca de novas alternativas de fonte de energia, como a solar. Chamada de energia fotovoltaica, ela usa os raios solares para gerar eletricidade e está ficando cada vez mais barata e acessível.

Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) estima que, só neste ano, o setor deve investir R$ 5,2 bilhões em geração distribuída (produção próxima aos pontos de consumo) e em parques solares de grande porte (conectados à rede de transmissão do Sistema Interligado Nacional).
A previsão da Absolar é que, em 2019, a capacidade instalada de geração de energia solar no país cresça 44%, oferecendo 3.306,4 MW para os brasileiros.

Calculadora de Projetos Fotovoltaicos

Para fomentar o acesso a esse tipo de energia, o Banco do Brasil e o WWF-Brasil, por meio de parceria de oito anos em prol da Economia Verde no país, criaram a Calculadora de Projetos Fotovoltaicos.

A ferramenta, digital e aberta ao público, analisa, de acordo com o consumo de eletricidade e localidade de um usuário, o potencial de economia na fatura de eletricidade e a redução de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) proporcionados por um sistema fotovoltaico próprio.

A calculadora também permite simular o financiamento do projeto, apresentando o retorno financeiro obtido com ele:


Fonte: Jornal Metro Curitiba

“Nosso objetivo é que cada vez mais pessoas conheçam fontes alternativas de energia, ajudando a diminuir o impacto no meio ambiente e, de quebra, economizando com a conta de eletricidade”, explica Gabriel Santamaria, do Banco do Brasil.

E você? Já conhece a energia fotovoltaica? Mande suas dúvidas pra gente!

FONTE: ASCOM/WWF