Endereço: CRS 505, Bloco A Entrada 11 Sala 105 - CEP: 70.350-510 - Asa Sul - Brasília/DF | Fone: (61) 3256-0803 | 3256-0802 | 9 9558-5735

Aplicativo do SUS aproxima cidadãos dos serviços públicos de saúde

Plataforma conta com 1,2 milhão de downloads e facilita a vida de usuários e gestores. A ferramenta também dá transparência aos atendimentos, como retirada de medicamentos

Serviços, informações e utilidades públicas em saúde a um toque dos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e o melhor: sem sair de casa. Essa praticidade já está disponível a toda população no aplicativo, Meu DigiSUS, plataforma móvel e digital disponibilizada pelo Ministério da Saúde, para dar comodidade e autonomia aos usuários e dar agilidade aos serviços no SUS. Por meio dele, a população já pode acompanhar via celular, suas consultas e exames ambulatoriais, nas UBS informatizadas; dispensação de medicamentos; visualização do histórico de suas solicitações; posição na fila do Sistema Nacional de Transplantes; entre outras funcionalidades relacionadas à saúde pública.

Até o momento, já foram realizados 1,2 milhão de downloads do Meu DigiSUS, entre smartphones com sistemas IOS e Android. Um dos principais benefícios do aplicativo é o melhor atendimento aos pacientes do SUS, onde eles poderão se tornar fiscais, avaliando o atendimento realizado, e denunciando fraudes em qualquer canto do país, além de possibilitar aos gestores municipais, estaduais e da União um planejamento adequado do setor, permitindo o aprimoramento constante desses serviços. A unificação dos serviços em uma única ferramenta também permitirá a correta aplicação dos recursos públicos.

Para o diretor do Departamento de Informática do SUS (DATASUS), do Ministério da Saúde, Guilherme Teles, o aplicativo vai reduzir custos e diminuir as filas presenciais nas estruturas físicas nos estados e municípios. “Em todo o mundo, o uso da Saúde Digital tem constantemente mudado a forma de organização e disponibilização dos serviços de saúde. No Brasil, este aplicativo irá justamente realizar isso, por meio da melhoria constante da qualidade dos serviços, dos processos, da prevenção e prioritariamente da atenção à saúde”, afirmou Guilherme.

Pela plataforma móvel oficial do SUS, o cidadão consegue encontrar hospitais, unidades de saúde e outros estabelecimentos próximos de sua residência; identificar farmácias participantes do Aqui tem Farmácia Popular e acompanhar os medicamentos que o cidadão retirou, além de avaliar o atendimento desses serviços. Também é possível acessar uma linha do tempo de cada atendimento realizado pelo SUS, além do Cartão Nacional de Saúde e os dados pessoais, com informações sobre nutrição e alergias.

O aplicativo está em funcionamento há três anos e já é reconhecido pela sua inovação tecnológica. A plataforma é interligada às 19.788 Unidades Básicas em Saúde (UBS) que já estão informatizadas em 3.780 municípios, totalizando 106.179.196 pessoas cobertas. Ao todo, 11 sistemas estão integrados no aplicativo, entre eles o Cadastro Nacional de Usuário do SUS (CADSUS), Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), Farmácia Popular e os Sistemas Nacional de Transplantes (SNT), de Regulação (SISREG), de Atenção Básica (e-SUS AB) e o Hemovida.

Como baixar o aplicativo

Para realizar seu primeiro acesso, baixe o aplicativo Meu DigiSUS na loja compatível com o celular e insira algumas informações básicas como: CPF, nome da mãe e e-mail. Após isto, o sistema localizará o seu cartão e enviará ao correio eletrônico cadastrado uma mensagem para verificação de segurança. Após este passo, você visualizará o número do seu Cartão Nacional de Saúde e terá acesso as suas informações de saúde.

Se não conseguir entrar no aplicativo, o Ministério da Saúde recomenda que o usuário procure a unidade de saúde mais próxima da sua residência para que o seu cadastro possa ser realizado. Para outras dúvidas, ligar na Ouvidoria do SUS, no 136.

Aplicativo Meu DigiSUS é premiado

No último dia 18 de agosto, o aplicativo Meu DigiSus foi reconhecido com o prêmio Case de Sucesso durante 9ª edição do 4CIO-DF 2018, realizada em Florianópolis (SC). O evento é um dos maiores do ramo da tecnologia da informação (TI) e reúne os responsáveis pela TI das principais empresas do Brasil – CIOs ou Chief Information Officer. A comissão avaliadora selecionou cinco Cases de Sucesso para concorrer ao prêmio final. Entre as instituições escolhidas estavam a Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb) e a Secretaria de Estado de Educação do DF.

 

FONTE: ASCOM/Ministério da Saúde

CTAv oferece serviços gratuitos para a sociedade

Centro Técnico Audiovisual (CTAv), vinculado à Secretaria do Audiovisual (SAv) do Ministério da Cultura, apoia desde 1985 a produção, a conservação e a pesquisa audiovisual no Brasil. Com objetivo de fomentar a produção nacional de pessoas físicas e jurídicas, o Centro – localizado no Rio de Janeiro (RJ) – oferece a cineastas iniciantes ou profissionais serviços gratuitos, como depósito de filmes, empréstimo de equipamentos, mixagem, pesquisa, utilização do estúdio e apoio a mostras e festivais, entre outros.
De acordo com a coordenadora geral do CTAv, Daniela Pfeiffer, a intenção primordial da instituição é apoiar o desenvolvimento da atividade audiovisual brasileira. “Em 2018, o Centro assume a formação como sua principal vocação, passando a oferecer também cursos, oficinas, visitas interativas e programas com escolas públicas. Com isso, a instituição tem ampliado o diálogo com um público que não necessariamente atua no mercado audiovisual, oferecendo uma perspectiva profissionalizante”, informa.
Entre os serviços mais procurados está o de mixagem, que é o trabalho de equalização, processamento e distribuição do áudio do material audiovisual nas caixas de som. O serviço é realizado pelo mixador oficial do CTAv. Caso mixadores externos queiram trabalhar em suas obras, o Centro também disponibiliza o estúdio e a infraestrutura para esse trabalho, sempre das 9h às 12h e sujeito a agendamento prévio. Os pedidos serão avaliados por uma comissão do Centro.
Apoios e serviços
Equipamentos de filmagem digital e gravação de áudio podem ser solicitados ao CTAv, sob forma de empréstimo, para a gravação de filmes e produtos voltados para televisão. Os interessados devem participar de seleção pública, inscrevendo-se pelo site. Caso selecionados, podem usar o kit de filmagem de um a 30 dias, desde que seja adequado ao projeto.
Além disso, pessoas e empresas podem depositar materiais audiovisuais brasileiros no acervo do Centro. É possível também realizar consultas de fotos, artigos e trechos de filmes em película e digitais cujos direitos patrimoniais pertençam à instituição.
O Centro também conta com o Prêmio CTAv de Apoio a Mostras e Festivais, que garante aos selecionados serviços gratuitos de mixagem e empréstimo de equipamentos exclusivamente para a participação em mostras e festivais.
Sobre o CTAv
Criado em 1985 a partir de parceria entre a Embrafilme e o National Film Board do Canadá, o CTAv integra, desde 2003, a estrutura da Secretaria do Audiovisual do MinC. O centro é referência na América Latina em conservação de acervo, sendo responsável pela guarda de mais de 20 mil rolos de película e 4,5 mil arquivos digitais.
Serviço
Endereço: Avenida Brasil, 2482, Benfica – Rio de Janeiro (RJ)
Horário de atendimento ao público: das 10h às 16h
Telefone: (21) 3501-7801
FONTE: ASCOM/Ministério da Cultura

Bolsa Família começou a ser pago nessa segunda-feira (17)

A quantia que cada beneficiário recebe varia conforme o número de pessoas na família, a idade de cada um e a renda declarada

As famílias beneficiárias do programa Bolsa Família começam a receber o pagamento de setembro a partir dessa segunda-feira (17). O repasse é realizado de acordo com o Número de Inscrição Social (NIS) impresso no cartão. Aqueles que terminam com final 1 podem sacar no primeiro dia do pagamento. Os com final 2, no segundo dia e assim por diante. Os recursos ficam disponíveis para saque por um período de três meses.

O Bolsa Família é voltado para as famílias inseridas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal e que têm renda mensal por pessoa de até R$ 89, além daquelas com renda familiar mensal de até R$ 178 por pessoa e que tenham integrantes gestantes, crianças ou adolescentes. A quantia que cada beneficiário recebe varia conforme o número de pessoas na família, a idade de cada um e a renda declarada.

Segundo o diretor do Cadastro Único do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), Luís Henrique Paiva, os dados dos beneficiários devem estar sempre em dia. “Manter as informações do Cadastro Único atualizadas é importante para que possamos entrar em contato com as famílias e que as políticas públicas saibam onde as famílias se encontram. Qualquer alteração significativa como alteração de endereço, mudança de escola dos filhos ou na renda, informe ao Cadastro Único”, esclarece o diretor.

Além disso, ao se inscreverem no programa Bolsa Família, os beneficiários assumem compromissos nas áreas de Educação e Saúde. Com isso, as famílias se comprometem a realizar o pré-natal, a levar as crianças para vacinar e fazer com que a frequência escolar delas seja de 85% até os 15 anos de idade, e de 75% até os 17 anos.

Saiba Mais

Para fazer o registro no Cadastro Único, o responsável pela família deve procurar um Centro de Referência de Assistência Social (Cras) ou um posto de atendimento do Bolsa Família no município. É necessário levar documentos de identificação pessoal, como RG, carteira de identidade, carteira de motorista e certidão de nascimento de todas as pessoas que vivem na residência.

FONTE: ASCOM/MDS