Endereço: CRS 505, Bloco A Entrada 11 Sala 105 - CEP: 70.350-510 - Asa Sul - Brasília/DF | Fone: (61) 3256-0803 | 3256-0802 | 9 9558-5735

Programa de Embaixadores tem inscrições abertas até setembro

#BRAZILCONFERENCE

Estão abertas as inscrições para o Programa de Embaixadores da Brazil Conference at Harvard & MIT. Em sua quarta edição, a iniciativa traz uma novidade. Desta vez, ao invés de cinco jovens, serão selecionados dez universitários brasileiros, dois de cada região do país, para serem disseminadores dos debates realizados na Brazil Conference 2019, que ocorrerá em Boston, Estados Unidos, nos dias 5 e 6 de abril do próximo ano. As inscrições podem ser feitas até o dia 24 de setembro na página do evento na internet.

Pode concorrer qualquer brasileiro com 18 anos completos até o dia 28 de fevereiro de 2019, estudante de graduação e devidamente matriculado em uma universidade no Brasil, seja pública ou privada. Os candidatos escolhidos terão os custos com emissão de visto e passaporte, passagens aéreas, hospedagem, alimentação e entrada patrocinados pela organização do evento.

O Programa de Embaixadores é composto por três fases. A primeira consiste no preenchimento do cadastro que, além de perguntas pessoais, também traz questões de perfil, histórico de iniciativas, um teste de lógica e um vídeo curto de apresentação dos candidatos. A segunda é um breve questionário para avaliar se o concorrente está alinhado com a missão da Brazil Conference e entender como ele irá agregar ao programa e ao evento. Os que satisfizerem esses critérios serão escolhidos para a terceira etapa, onde são entrevistados por dois membros da organização, saindo os dez selecionados.

Os nomes dos selecionados na primeira fase serão conhecidos no dia 12 de outubro. A divulgação dos aprovados na segunda fase, que participarão da seleção dos finalistas, ocorrerá dia 4 de novembro. A seleção dos embaixadores, aprovados na terceira fase, será apresentada em 12 de janeiro de 2019.

Programa – Uma iniciativa da Brazil Conference at Harvard & MIT, o Programa de Embaixadores foi criado devido à necessidade e importância de trazer jovens universitários do Brasil para aproximá-los dos debates realizados na conferência. Com isso, os participantes se tornam multiplicadores, em suas regiões, do conteúdo discutido durante o evento, além de também serem reconhecidos pelo papel de protagonismo que têm em suas cidades.

A primeira edição do Programa de Embaixadores aconteceu na Brazil Conference de 2016, ano em que mais de 1.400 candidatos foram inscritos e quatro jovens foram escolhidos para irem até Boston. No ano seguinte, foram mais de 8.600 inscrições e, dessa vez, cinco foram selecionados. Em 2018, alinhado com a maior estrutura do evento foram mais de 16 mil inscritos e, novamente, cinco foram escolhidos. Desde então, as responsabilidades aumentaram e, além de se comprometerem a levar para o Brasil novos pontos de vista e a continuidade do diálogo, os embaixadores ajudam na parceria com suas universidades para que transmitam ao vivo as palestras, além de realizarem um evento nos mesmos moldes da conferência gerando novos debates após o retorno dos Estados Unidos.

Conferência – Desde 2015, a Brazil Conference at Harvard & MIT é organizada pela comunidade brasileira de estudantes em Boston para promover o encontro com líderes e representantes da diversidade do Brasil, com a missão de encontrar soluções inovadoras para o futuro do nosso país. Com o objetivo de encorajar jovens brasileiros a desempenharem papel ativo e transformador frente à realidade brasileira, de envolver alunos de graduação no Brasil nos debates da Conferência e de criar lideranças que instigarão discussões em universidades no Brasil, a Brazil Conference realiza o Programa de Embaixadores.

Para saber mais detalhes e fazer a inscrição para o Programa de Embaixadores 2019, acesse a página do programa.

FONTE: Ascom/Mec

 

Nove Estados estão com chamadas abertas para compra de alimentos

A previsão é de que seja investido um total de R$ 19 milhões na aquisição de produtos da agricultura familiar

Exército, Aeronáutica, Marinha, além do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Estado do Rio Grande do Norte, Universidade Federal de Campina Grande, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de São Paulo, Grupo Hospitalar Conceição e Instituto Federal do Rio Grande do Sul estão com Chamadas Públicas abertas para a aquisição de alimentos produzidos pela agricultura familiar. Ao todo, são dez órgãos que vão investir mais de R$ 19 milhões.

Os processos de compra integram o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). Serão comprados itens como legumes, frutas, farinhas, condimentos, mel, verduras, carnes, ovos, sucos, peixes, queijos, bebidas lácteas, bolos, arroz, achocolatados, açúcar, sucos, creme de leite, feijão e macarrão. Tudo produzido por pequenos agricultores familiares e cooperativas da agricultura familiar.

A coordenadora geral de Aquisição e Distribuição de Alimentos do Ministério do Desenvolvimento Social, Hetel Santos, explica como os interessados podem participar.  “É importante apresentar boas propostas porque é um mercado novo que se abre, gerando oportunidade para esse segmento. Lembrando que pode ser agricultor familiar individual ou associações e cooperativas”. E complementa: “o agricultor familiar ou a área de compra das cooperativas precisa conhecer e baixar o edital que está disponível para o seu Estado. Lá, vai encontrar informações como prazo para entrega da proposta de oferta ,que pode ser total ou parcial.”

Informações – Para acompanhar os editais é só acessar www.comprasagriculturafamiliar.gov.br . Os prazos para envio das propostas terminam em diferentes datas.  Neste link é possível acessar todas as chamadas abertas, por região, no país. A legislação determina que pelo menos 30% dos alimentos adquiridos para abastecer órgãos públicos venham da agricultura familiar. Cada agricultor familiar poder vender até o limite de R$ 20 mil, por ano, para cada órgão comprador; já para as cooperativas ou associações, o limite é de R$ 6 milhões por ano.

FONTE: Ascom/MDS