Endereço: CRS 505, Bloco A Entrada 11 Sala 105 - CEP: 70.350-510 - Asa Sul - Brasília/DF | Fone: (61) 3256-0803 | 3256-0802 | 9 9558-5735

Vara do Trabalho no Acre é destaque como a segunda do Brasil que mais julgou processos em 2017 e por práticas socioambientais

A Vara do Trabalho de Plácido de Castro/AC, que pertence à jurisdição do Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região (TRT-RO/AC), está entre as 10 varas do trabalho que em 2017 mais julgaram processos proporcionalmente aos recebidos no Brasil, na fase de conhecimento.

A Unidade Judiciária, situada na fronteira amazônica do Brasil com a Bolívia, ficou em 2º lugar entre todas as varas do trabalho brasileiras, conforme dados recentemente divulgados pela Corregedoria-Geral do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

No indicador denominado “10 Varas com os maiores percentuais de julgados em relação aos recebidos”, a Vara alcançou o elevado percentual de 186,1%, conforme consta no Sistema de Gerenciamento de Informações Administrativas e Judiciárias da Justiça do Trabalho (E-Gestão).

Para a juíza do Trabalho Titular da VT, Christiana D’arc Damasceno, a notícia é motivo de alegria e reconhecimento da dedicação do magistrado em seu ofício. “É importante ressaltar, igualmente, a dedicada colaboração dos servidores que são partícipes no processo, como também da administração do Regional que tem manifestado apoio, mediante esforços de estruturação organizacional, para que resultados como esses possam ser alcançados”, completou.

Conforme dados regionais, a unidade trabalhista em Plácido de Castro possui a maior média de processos novos recebidos nos últimos três anos entre as unidades incluídas no grupo A, II, do artigo 1º da Portaria GP n. 0176/2018, de que fazem parte as Varas do Trabalho de Jaru/RO, Colorado d’Oeste/RO, Ouro Preto d’Oeste/RO, São Miguel do Guaporé/RO, Guajará-Mirim/RO, Buritis/RO e Machadinho d’Oeste/RO, dentre outras.

Ainda segundo a magistrada, o resultado representa uma conquista para o TRT, alinhando-se com a missão institucional de “realizar justiça, no âmbito das relações de trabalho, com celeridade e efetividade, promovendo a paz social e o fortalecimento da cidadania.”, além da visão de futuro de “consolidar-se perante a sociedade como referência de credibilidade na prestação jurisdicional.”

Responsabilidade Socioambiental

Além da prestação jurisdicional, a Vara do Trabalho de Plácido de Castro vem se destacando com um trabalho de responsabilidade socioambiental junto a estudantes dos turnos matutino e verpertino da Escola Municipal de Ensino Fundamental Elias Mansour Simão.

Trata-se de um projeto para coleta de garrafas pets, com a entrega de kits educacionais aos estudantes. Já foram distribuídos 41 kits e recebidas 490 garrafas, as quais foram pintadas e transformadas pela equipe da Vara em vasos para a construção de jardins suspensos na sede da Unidade.

“Esse projeto de reciclagem e educação na Justiça do Trabalho vem propiciando conscientização ambiental, reaproveitamento de recursos e melhoria do ambiente institucional”, destacou o diretor de Secretaria da Vara, Washington Vilela.

Ainda como parte do Programa de Responsabilidade Socioambiental do Regional, “Justiça do Trabalho Vai à Escola”, a Vara programou uma palestra na mesma Escola para o próximo dia 13, na semana em que se celebra o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil.

SECOM – Secretaria de Comunicação Social e Eventos Institucionais
Justiça do Trabalho nos Estados de Rondônia e Acre
Telefones (69) 3218-6371 / 6373 / 6374 / 6375
Celular: (69) 99976-1235 – Porto Velho – RO
FOTO: Divulgação.

Grupo apresenta espetáculo Resiliência de graça em Taguatinga

Dançarinos de hip-hop de Brasília – integrantes da seleção brasileira da modalidade – apresentam o projeto Resiliência, nesta sexta-feira (8/6), no Colégio Marista Champagnat (Taguatinga). Ao todo, 30 artistas vão exibir o espetáculo que ressalta a importância da resiliência e da mudança pessoal como forma de evolução humana.

Durante as performances, movimentos das danças urbanas e contemporâneas são fundidos, ganhando novas interpretações e personalidades. O espetáculo terá 45 minutos de duração e se encerrará às 10h45.

Idealizador do Resiliência, Rafael Nino afirma que o objetivo dos dançarinos é servir de inspiração para novas gerações. “Queremos mostrar que eles podem sonhar e realizar. Somos prova disso”, pondera. “Temos, também, a oportunidade de levar um espetáculo de música e de arte para dentro de algumas escolas que são tão carentes de eventos culturais como esses”, completa.

Resiliência
Nesta sexta-feira (8/6), no Colégio Marista Champagnat (QSD – Área Especial 01, S/N), às 9h45. Entrada franca. Classificação indicativa livre

Texto do Metrópoles, por LUIZ PRISCO
07/06/2018 16:26, atualizado em 07/06/2018 17:08

FOTO: KIKO-SANCHES.

Inclusão de artigo na Lei 9.612 é aprovada na CCJ do Senado

A proposta do (PLS 55/2016), de autoria de Donizeti Nogueira (PT-TO), foi aprovada, nessa quarta-feira (6), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

Por Ana Paula Oliveira

A medida permite a veiculação de propaganda paga nas programações das rádios comunitárias. O projeto acrescenta artigo à Lei 9.612/1998, de Radiodifusão Comunitária.
O senador Donizeti defende que as emissoras, precisam da verba para custear despesas básicas como contas de água e luz.

O presidente da Abraço do Estado de Mato Grosso e coordenador executivo da entidade em nível nacional, Geremias Santos, comemorou a conquista. “Para nós, foi uma aprovação das mais históricas, principalmente porque a Lei 9.612 de 1998 nunca foi alterada. Foi um avanço a votação de hoje”, disse. Apesar da aprovação, o coordenador ressalta que a emenda apresentada pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede),  incluiu as rádios educativas no PLS 55. “Nós achamos que não cabe esse tipo de emenda porque a nossa Lei é apenas para rádios comunitárias e as rádios educativas têm sua própria lei. Por tanto, nós concordamos com a proposta do senador, de que as rádios educativas também têm que ter acesso a verbas privadas. Agora, tem que fazer essa alteração na lei, que normatizou e criou as rádios educativas no Brasil. Nós vamos trabalhar nesse sentido na Comissão de Ciência e Tecnologia”, reforçou.

Outra coisa que não agradou a comitiva em defesa das rádios comunitárias, foi o posicionamento da senadora Marta Suplicy (MDB). Na visão de Geremias, a senadora tentou defender a Abert, pensando em candidatura por São Paulo. “Uma senadora, que tempos atrás era comprometida com os trabalhadores, agora, pelo jeito, não é. Atacou dirigentes das rádios comunitárias, dizendo que as rádios comunitárias vão fazer lavagem de dinheiro. Olha que canalhice, que foi colocada por essa senadora”, lamentou, o presidente.

O coordenador da Abraço do Mato Grosso destacou as 5 mil rádios comunitárias e mais de 50 mil militantes, dirigentes, comunicadores e radialistas, que tornam os meios de comunicação comunitários radiofônicos, realidade nos quase 4.400 municípios em todo o país. “O que essa senadora fez hoje contra as rádios comunitárias entrou para a história e nós sabemos que o povo de São Paulo saberá dá a resposta. Nós somos um povo sério. Nas rádios têm crianças, adolescentes, adultos, pais de família e aposentados. Nós não vamos esquecer desse tipo de discurso, que quer colocar os militantes de rádios comunitárias como criminosos. Um verdadeiro absurdo. Nós jamais concordaremos com esse tipo de postura”, finalizou, Geremias.

 

FOTO: Divulgação.