Endereço: CRS 505, Bloco A Entrada 11 Sala 105 - CEP: 70.350-510 - Asa Sul - Brasília/DF | Fone: (61) 3256-0803 | 3256-0802 | 9 9558-5735

Brasil celebra a importância do Dia Nacional da Consciência Negra

df027748249645977b9f0fa869f4e032

Nesta semana será celebrado o Dia Nacional da Consciência Negra, 20 de novembro. A data é dedicada à reflexão contra o racismo e a importância dos negros para a história e cultura brasileira. A data foi escolhida por coincidir com o dia da morte de ” Zumbi dos Palmares” , em 1695 . O Dia da Consciência Negra procura ser uma data para se lembrar da resistência do negro à escravidão de forma geral, desde o primeiro transporte de africanos para o solo brasileiro (1549).

De acordo com deputado Renato Simões (PT-SP), autor do Projeto de Lei 6787/13, que transforma o dia 20 de novembro em feriado; “até hoje persiste a diferença salarial e a condição do negro de vítima preferencial da violência, em razão da cor da pele. Para ele, o feriado será dedicado ao desenvolvimento de atividades sobre a situação dos negros na sociedade e à divulgação da história e cultura afro-brasileira. A Câmara dos Deputados analisa o projeto, mas de acordo com a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, mais de mil cidades brasileiras já adotaram o feriado.

julianaEm entrevista ao programa Brasília na Rede, da Rádio Esplanada FM (www.radioesplanadafm.org), e apresentado pelo jornalista Afonso Ligório, a coordenadora da Rádio Agência Brasil, Juliana Cezar Nunes (foto), afirmou que o papel da mídia é valorizar as características da população negra, que tanto lutou e vem conseguindo cada vez mais espaço na arte, cultura e entretenimento. “Além da população negra ser a maior vítima de homicídios no anuário brasileiro, com forte violência policial; a mídia ainda vem reproduzindo alguns preconceitos da população. As novelas continuam colocando ao negro, aquela imagem subalterna. Tivemos alguns avanços na dramaturgia e no telejornalismo, tendo o negro como protagonista, mas ainda sim o preconceito  ainda existe”, afirmou.

De acordo com Juliana Nunes, alguns debates que foram destaques nas últimas eleições, como, a maioridade penal, revelaram os atrasos de alguns setores da sociedade, pois uma quantidade significativa dos representantes do preconceito forame eleitos. “A redução da maioridade penal atinge principalmente os negros. Temos que levar em consideração as famílias desamparadas. O que levam os jovens negros a caírem na marginalidade? É o não acesso a educação, a saúde, a alimentação, aos serviços básicos de obrigação do Estado. Não podemos responsabilizar os jovens negros pelos crimes cometidos. Devemos nos conscientizar que a violência não é feita somente por pessoas, mas por todo um sistema social”, disse Juliana.

Para ela, o dia 20 novembro é fundamental para reverenciar a luta dos negros, para continuarmos a refletir sobre a questão racial durante todo o ano. “Esta data fortalece a questão racial com as políticas públicas e com a mídia. A trajetória de luta tem que ser celebrada, pois a luta dos negros não foi e não é em vão”, concluiu.

Em todo o país, acontecerão várias atividades em celebração ao Dia da Consciência Negra. Acompanhe a programação cultural da sua cidade, e participe ativamente desta luta, conhecendo a história, a cultura e a importância da população negra para o Brasil e para o mundo.

 

Por Bruno Caetano

Da Redação

 

Anatel intensifica cobrança para exibição dos chamados “prefixos” pelas rádios

imagem_recortada_312054816

Agentes da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) visitaram diversas rádios do interior do estado do Paraná para fiscalizar a execução do chamado prefixo de identificação, que é obrigatório por parte das emissoras de rádio. Várias emissoras foram visitadas e a informação é que a agência vai fiscalizar grande parte das rádios do Brasil.

De acordo com o site “Tudo Rádio”, os agentes estiveram em rádios das regiões sudoeste e centro do Paraná. Os fiscais solicitaram as gravações das “censuras” das rádios para identificar a exibição do prefixo, algo que é obrigatório, segundo o Ministério das Comunicações.

De acordo com o diretor técnico da Associação das Emissoras de Rádio e TV do Estado de São Paulo (Aesp), engenheiro Eduardo Cappia, existe a intensificação da cobrança da veiculação da identificação da emissora quanto ao prefixo. Apesar de obrigatória, algumas emissoras deixam de exibir durante sua programação.

Cappia ressaltou ainda que existem divergências quanto a exibição do prefixo. “Há controvérsias a respeito do indicativo de chamada pois uma Portaria do MiniCom, ainda vigente, prevê irradiar o indicativo de chamada ou a denominação social da empresa, ou ainda a frequência ou denominação fantasia”, comentou Cappia, por e-mail.

As fiscalizações estão sendo feitas de duas maneiras. Uma por monitoração remota, onde a agência faz a gravação da programação em determinado período ou solicita em fiscalização a mídia com a gravação das últimas 24 horas e de dia determinado. Feita a leitura da gravação e observam entre outras exigências, que sejam veiculados 5% de programas noticiosos, a exibição da previsão do tempo, a transmissão integral da Voz do Brasil e outros programas políticos e a irradiação do indicativo de chamada de hora em hora.

 

 

Informações: Tudo Rádio

Foto: Reprodução