Endereço: CRS 505, Bloco A Entrada 11 Sala 105 - CEP: 70.350-510 - Asa Sul - Brasília/DF | Fone: (61) 3256-0803 | 3256-0802 | 9 9558-5735

Secretário de município baiano apreende equipamentos pessoalmente e interdita Rádio Comunitária

xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.5769k5TTpm

As rádios comunitárias do Brasil vivem constantemente a perseguição desenfreada, não só dos grandes veículos de comunicação, mas também de instituições públicas sem compromisso com a pluralidade cultural. O alvo desta vez,foi a emissora Nova Rádio Cidade FM, de Itapebi, no sul da Bahia. A rádio foi interditada nesta quinta-feira (5), pela secretaria de administração do município, que levou os aparelhos necessários para o seu funcionamento.

De acordo com o radialista radialista Fábio Loureiro, a intervenção foi realizada pelo próprio secretário, Florisvaldo Nunes, com apoio de uma guarnição da Polícia Militar e um capitão à paisana, além de um procurador do município. Além de ter seus equipamentos apreendidos, a rádio recebeu duas multas, nos valores de R$ 341,50 e R$ 683,00.

A secretaria informou que a rádio estava com diversas irregularidades, a exemplo do endereço da emissora que seria diferente do espaço real. Loureiro, no entanto, acredita que a rádio foi “alvo de perseguidores”.

A Abraço Nacional (Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária) repudia e lamenta esta truculenta ação da Secretaria de Administração do município de Itapebi. Os motivos pelos quais a secretaria alega o fechamento da emissora, não justificam os atos de abuso de autoridade e de brutalidade com o patrimônio e veículo de comunicação da comunidade de Itapebi.

 

Bruno Caetano

Da Redação

 

Informações: Bahia Notícias

Mulheres rurais contribuem com mais de 42% da renda familiar

As mulheres estão aumentando a renda e contribuindo mais com as contas do lar. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica (IBGE) mostram que a participação das mulheres do campo na renda familiar (42,4%) é maior do que a das mulheres que vivem na cidade (40,7%). O Nordeste é a região onde a colaboração monetária das mulheres rurais é maior (51%). A história da agricultora familiar paraibana Felismina Ribeiro, 50 anos, exemplifica os números divulgados pelo instituto.

 

mulheres no campo

Viúva, mãe de cinco filhos, Felismina é a chefe da família. Ela mora em Riacho dos Cavalos, município a 402 quilômetros da capital João Pessoa, com o irmão, duas filhas, um filho e a nora. A agricultora conta que sempre acessa o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para investir em melhorias na propriedade. “Já peguei crédito para comprar vaca, insumos, melhorar o açude. E é a melhor coisa, o melhor caminho que encontrei para criar a minha família”, afirma.

Assim como Felismina, muitas mulheres comandam os lares brasileiros. Ainda de acordo com o IBGE, em 2000, as mulheres chefiavam 24,9% dos 44,8 milhões de domicílios particulares. Em 2010, essa proporção cresceu para 38,7% dos 57,3 milhões de domicílios. Um aumento de 13,7 pontos percentuais.

A diretora de políticas para as mulheres do MDA, Karla Hora, ressalta a importância dos programas sociais para o aumento da renda da mulher rural. “Se olharmos bem para o meio rural também entendemos que parte dessa melhoria da contribuição monetária das mulheres na família tem a ver com os programas de inclusão produtiva, considerando que o perfil do meio rural se caracteriza, em grande parte, pela agricultura familiar”, explica.

Atualmente, Felismina usa a terra para a criação de gado, cabra, plantação de hortaliças e frutas que são comercializadas em feiras da região. Ela ainda está investindo na criação de peixes. “Eu pago minhas contas em dia e ainda pago salário para o meu irmão. Sinto orgulho de mim mesma, consegui com meu esforço sustentar a mim e a minha família”, diz.

Os dados relativos ao crescimento da renda da mulher fazem parte da publicação “Estatísticas de Gênero: Uma análise dos resultados do Censo Demográfico 2010”, elaborada no âmbito do Sistema Nacional de Informações de Gênero (SNIG), lançada com o apoio do MDA e da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM/PR).

“Essa publicação facilita o acesso aos dados sobre a presença das mulheres no meio rural tanto do ponto de vista econômico, como de acesso a educação e de caracterização do seu perfil”, finaliza a diretora do MDA.

 

 

Informações: ASCOM/MDA

Foto: Reprodução

 

 

Delegados priorizam propostas para atingir meta da 2ª CNPDC

IMG_9644_WEB

O debate intenso e o esforço constante para priorizar propostas marcaram o segundo dia da 2ª Conferência Nacional de Proteção e Defesa Civil (CNPDC), em Brasília. Nesta quarta-feira (5), os delegados e convidados discutiram as 425 sugestões de princípios e diretrizes – 40 serão escolhidas. Até o final da tarde, eles tentavam reduzir esse número para 300 propostas.

Os mais de 1,4 mil delegados estão organizados em 20 grupos de trabalho, que debaterão quatro eixos temáticos. Mais da metade dos temas escolhidos concentravam-se nos 1 (Gestão Integrada de Riscos e Resposta a Desastres) e 3 (Gestão do Conhecimento) Mas eixos 2 (Integração de Políticas Públicas) e 4 (Mobilização e Promoção de uma Cultura de Proteção e Defesa Civil na busca de Cidades Resiliente) – também contaram com forte participação.

José Geraldo Esteves, representante do segmento de conselhos de políticas públicas no Espírito Santo, explicou sua opção pelo Eixo 1. “É uma tentativa de que a conferência incorpore as propostas do meu município”, explica. “Muita coisa na gestão deve ser mudada, principalmente em relação à importância do papel local da Defesa Civil. Trabalhamos salvando vidas e precisamos ser reconhecidos como um órgão respeitado e necessário”, enfatizou.

Representante da sociedade civil do município de Quatro Barras (PR), Janaína Oliveira escolheu o Eixo 3. “Escolhi por afinidade, já que sou educadora. Mas também pretendo articular a minha opinião sobre outros temas com colegas da minha delegação, de modo a afinarmos o nosso discurso”, conta a delegada.

Plenárias temáticas

Na quinta-feira (6), os delegados participarão da etapa “Priorização Temática”, com o objetivo de aprimorar e adequar a redação da seleção das propostas. A votação final será realizada na sexta-feira (7), último dia da conferência.

Como deliberação final da 2ª CNPDC, serão eleitos dez princípios e 30 diretrizes que contribuirão para a implantação da Política Nacional de Proteção e Defesa Civil (Lei 12.608/12). As propostas também poderão subsidiar a criação de projetos de lei e políticas locais, influenciando diretamente nas decisões em proteção e defesa civil no Brasil.

 

 

Informações: Comunicação Social da 2ª Conferência Nacional de Proteção e Defesa Civil

Foto: Ascom/MI

4º Encontro Nacional de Formação da Contag terá mais de 200 experiências de base comunitária

enafor

A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (CONTAG) realizará na semana de 10 a 14 de novembro, no Centro de Treinamento da CNTI, em Luziânia/GO, o 4º Encontro Nacional de Formação (4º Enafor). A atividade reunirá cerca de 1.000 pessoas, entre trabalhadores e trabalhadoras rurais, lideranças comunitárias, assessores e dirigentes sindicais de todo o País.

O 4º Enafor, coordenado pela Escola Nacional de Formação da CONTAG (Enfoc), irá oportunizar e privilegiar a troca de conhecimento e práticas formativas de mais de 200 experiências de base municipal/ comunitária. Essas experiências identificam-se como associações e cooperativas, Grupos de Estudos Sindicais (GES), grupos de formação de assalariados e empregados rurais, grupos de mulheres, grupos do programa Jovem Saber, grupos de organização produtiva, grupos de terceira idade, entre outros.

Além da apresentação das experiências e a troca de conhecimento, a programação do 4º Enafor traz oficinas temáticas e pedagógicas, rodas de conversa, feira de trocas e venda de produtos da agricultura familiar, lançamentos de publicações, de filme e da Marcha das Margaridas, ato pelo Ano Internacional da Agricultura Familiar, e momentos lúdicos e de integração dos participantes.

 

Momentos principais do evento:

– Abertura do 4º Enafor: segunda-feira (10), às 14 horas;

– Painel “O Brasil que sai das urnas e os desafios para a formação da base”, com presença do ministro Gilberto Carvalho e Leonardo Boff: segunda-feira (10), às 16 horas;

– Instalação da feira de saberes e sabores com animação artístico cultural: segunda (10), às 17 horas;

– Lançamento da Marcha das Margaridas 2015: terça-feira (11), às 19 horas;

– Ato pelo Ano Internacional da Agricultura Familiar, Camponesa e Indígena: quarta-feira (12), às 18 horas;

– Lançamento do filme de Silvio Tendler “Agricultura tamanho família: uma alternativa ao agronegócio”, realizado pela CONTAG e pela Calibam Filmes.

 

SERVIÇO:

4º Encontro Nacional de Formação (Enafor)

Data: 10 a 14 de novembro de 2014

Local: Centro de Treinamento da CNTI – Luziânia/GO

Público: Cerca de 1.000 pessoas de todo o país, entre trabalhadores rurais, lideranças comunitárias, assessores e dirigentes sindicais coordenados pela CONTAG

 

Clique aqui para ver a programação completa